Idosa belga inicia greve de fome para conseguir eutanásia

A mulher, de 93 anos, não cumpre os dois requisitos necessários para que a eutanásia seja legal no país

Efe,

24 Março 2009 | 15h01

Uma mulher belga de 93 anos, Amelie Van Esbeen, está há dez dias em greve de fome para pedir que receba a eutanásia, apesar de não reunir os critérios estabelecidos pela legislação belga para ter este direito, informa o jornal Le Soir.

 

Após tentar em vão cortar as veias com uma faca de cozinha, a idosa decidiu iniciar uma greve de fome em sua residência, em Merksem, no norte da Bélgica.

 

A mulher não tem uma "afecção incurável grave" nem sofrimentos "constantes, insuportáveis e que não possam ser acalmados", os dois requisitos necessários para que a eutanásia seja legal.

 

"Minha vida está acabada. A única coisa que poderia me fazer feliz é a morte", afirma a mulher, diante da impotência da família.

 

Amelie já expressou por escrito que é contra ser reanimada, levada a um hospital ou ser alimentada através de uma sonda, e reivindica a ampliação das condições exigidas pela lei a pessoas que estejam na mesma situação.

 

As reações diante do protesto realizado pela idosa reacenderam o debate sobre a eutanásia na Bélgica - país que descriminalizou esta prática em 2002 -, apesar de apenas os liberais e socialistas flamengos terem se mostrado a favor da extensão da eutanásia a idosos, menores e pessoas com doenças cerebrais degenerativas.

Mais conteúdo sobre:
eutanásia Bélgica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.