JF DIORIO/ ESTADÃO
JF DIORIO/ ESTADÃO

Indicação da vacina de HPV será ampliada para meninos até 15 anos

Hoje imunizante é oferecido às meninas de 9 a 14 anos e aos meninos entre 12 e 13 anos

Lígia Formenti, O Estado de S.Paulo

13 Junho 2017 | 17h41
Atualizado 13 Junho 2017 | 19h49

BRASÍLIA - O Ministério da Saúde vai ampliar a indicação de vacina para HPV. Documento oficial preparado pela pasta mostra que, a partir de junho, meninos entre 11 a 15 anos incompletos também poderão tomar o imunizante que protege contra o vírus. Hoje, a vacina está disponível apenas para os meninos entre 12 e 13 anos, além de meninas entre 9 e 14 anos e pessoas com HIV entre 9 e 26 anos.

A ampliação da indicação da vacina contra HPV, no entanto, deve ser maior do que a comunicada no documento preparado pelo Ministério da Saúde. A faixa etária para indicação da vacina entre meninas também deverá ser estendida. Além disso, outros grupos de pacientes poderão receber o imunizante. A definição sobre os novos grupos será feita na próxima reunião entre secretários estaduais e municipais de saúde, no fim do mês.

Na última compra, o Ministério da Saúde adquiriu 6 milhões de doses do imunizante, ao custo de R$ 288,4 milhões. Uma das grandes dificuldades enfrentadas pela pasta é elevar a cobertura vacinal contra essa doença. Para driblar a resistência, este ano o governo preparou uma campanha que permite a vacinação nas escolas.

O HPV é transmitido pelo contato direto com a pele ou mucosas infectadas ou por meio de relação sexual. Também pode ser transmitido da mãe para o filho no momento do parto. A ampliação da faixa etária já estava nos planos do governo. No início do ano, o Ministério da Saúde havia informado a intenção de estender gradualmente os grupos que recebem o imunizante, uma estratégia iniciada desde que a vacina foi incorporada no programa nacional. 

Até o ano passado, por exemplo, a vacina estava disponível apenas para meninas entre 9 e 13 anos. A partir deste ano, a indicação foi ampliada para garotas de até 14 anos.

A vacina ofertada no SUS para os garotos é quadrivalente, a mesma que, desde 2014, é oferecida para as meninas. O imunizante protege contra quatro subtipos do vírus HPV (6, 11, 16 e 18) e possui 98% de eficácia. 

Entre meninos, a vacina tem como objetivo proteger contra os cânceres de pênis, garganta e ânus, doenças que estão diretamente relacionadas ao HPV. De acordo com a pasta, os cânceres de garganta e de boca são o 6º tipo de câncer no mundo, com 400 mil casos ao ano e 230 mil mortes. Mais de 90% dos casos de câncer anal têm origem na infecção pelo HPV.

Entre o grupo feminino, a imunização tem como objetivo proteger contra o câncer de colo do útero, vulva, vaginal e anal, além de lesões pré-cancerosas, verrugas genitais e outras infecções causadas pelo vírus.

Mais conteúdo sobre:
BRASÍLIA Ministério da Saúde HPV

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.