Ed Ferreira/AE - 17/07/2009
Ed Ferreira/AE - 17/07/2009

Instituto Butantan fará vacina contra gripe suína, diz ministro

Temporão quer vacinar população para o próximo inverno; laboratório francês transferirá a tecnologia

22 Julho 2009 | 08h15

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, informou, na noite de terça-feira, 21, que o Instituto Butantan, na zona oeste de São Paulo, será responsável pela produção da vacina contra o vírus Influenza H1N1, causador da gripe suína.

 

Veja também:

link Gripe suína já matou mais de 700 pessoas no mundo, diz OMS

link SP registra mais 6 mortes por gripe suína em 10 dias

 

Durante entrevista ao programa Observatório da Imprensa, da TV Brasil, o ministro informou que o instituto tem um contrato de transmissão de tecnologia com um laboratório francês que trabalha na produção da vacina contra a gripe suína.

 

"Há uma corrida, especialmente de quatro laboratórios multinacionais, pela produção da vacina para o inverno no hemisfério norte, que começa agora em novembro. No Brasil, nós poderemos vacinar a população no ano que vem. Estamos em contato com vários laboratórios", afirmou Temporão. Ele ressaltou que, quando for encontrada a vacina, haverá escassez do produto no mundo.

 

"Outras questão é da propriedade intelectual. As populações mais pobres não podem ser privadas de uma patrimônio que é da humanidade. Acho que a OMS [Organização Mundial da Saúde] tem uma responsabilidade importante para determinar quais serão os mecanismos para que os países mais pobres tenham acesso a essa tecnologia."

 

Questionado sobre o fato de que o medicamento para tratar a doença, o Tamivir, só estar disponível na rede pública de saúde, Temporão disse que é bom que ele não esteja à venda nas farmácias.

 

"Não tem na farmácia porque, em função da demanda mundial, o laboratório não tem o medicamento para entrega. Mas, se tivesse, nós teríamos uma corrida às farmácias de pessoas que iam automedicar-se. É uma irresponsabilidade dar remédio para todo mundo como se fosse jujuba. Se isso ocorresse, nós perderíamos a única arma que temos para combater a doença, que é a eficácia do medicamento" afirmou.

 

O ministro disse que o governo tem 9 milhões de doses do tratamento disponíveis e mais 1 milhão estocadas. A distribuição deve ser organizada pelas secretarias estaduais e municipais de Saúde. Temporão ressaltou que a principal forma de combater a doença é a informação. Ele recomenda à população que acesse o site do Ministério da Saúde ou telefone para o Disque Saúde (0800611997) para esclarecer qualquer dúvida sobre a doença.

Mais conteúdo sobre:
gripe suína, influenza H1N1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.