Interior de SP registra segunda morte com diagnóstico de dengue

A agente penitenciária Renata Gaudêncio, de 27 anos, passou mal no último dia 6 e foi internada

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

14 Janeiro 2016 | 16h36

SOROCABA - Uma jovem de Mirandópolis, interior de São Paulo, morreu em Foz do Iguaçu, no Paraná, depois de ser internada com diagnóstico de dengue. A agente penitenciária Renata Gaudêncio, de 27 anos, passou o final de ano na cidade do interior paulista e viajou para o Paraná. 

Ela passou mal no último dia 6 e foi internada. O teste para dengue feito na paciente deu positivo. Renata morreu na terça-feira, 12. Seu corpo foi sepultado no dia seguinte em Mirandópolis.

O Departamento de Saúde do município trabalha com a hipótese dela ter se infectada na cidade do oeste paulista, que registrou 522 casos da doença no ano passado. Uma ação de bloqueio e busca de criadouros foi feita no bairro em que ela morava. 

A prefeitura pediu informações à Vigilância Epidemiológica de Foz do Iguaçu, que também investiga o caso. Se for confirmado que a infecção ocorreu em Mirandópolis, será a segunda morte com diagnóstico de dengue este ano no interior de São Paulo. A primeira vitimou um homem de 64 anos, dia 6, em Presidente Prudente. 

Nos dois casos, apesar do diagnóstico clínico positivo, as prefeituras aguardam resultado dos exames de amostras em laboratórios oficiais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.