Internações de crianças por transtorno alimentar crescem 119% nos EUA

Academia de Pediatria analisou dados de 1999 a 2006; médicos devem pedir exames de rotina

AP

29 Novembro 2010 | 17h54

CHICAGO - Um novo relatório sobre transtornos alimentares nos Estados Unidos divulgado pela Academia Americana de Pediatria nesta segunda-feira, 29, revela um aumento acentuado nas internações de crianças por esse problema.

Entre os menores de 12 anos, as internações cresceram 119% entre 1999 e 2006. Segundo dados de 2009 liberados pela Agência de Pesquisa e Qualidade em Serviços de Saúde do país, as hospitalizações por distúrbios alimentares nos EUA aumentou 15% nesse período de sete anos. A maior elevação foi entre pacientes mais jovens.

A Academia de Pediatria recomenda que os médicos solicitem exames de rotina e encaminhem as crianças diagnosticadas com algum transtorno para tratamento especializado. O relatório diz que os profissionais podem ajudar a prevenir distúrbios alimentares, dando orientações sobre nutrição adequada e exercícios físicos para evitar uma fixação nada saudável por dietas e peso ideal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.