André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Leituristas de contas de luz ajudarão a rastrear focos de 'Aedes'

Ideia é que profissionais avisem sobre locais suspeitos; mosquito é transmissor da dengue, da febre chikungunya e do zika vírus

Eduardo Rodrigues, O Estado de S. Paulo

28 Janeiro 2016 | 13h49

BRASÍLIA - O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, anunciou nesta quinta-feira, 28, que os leituristas de contas de luz das distribuidoras de eletricidade - que visitam mensalmente todos os domicílios do País - ajudarão a identificar possíveis focos de proliferação do mosquito aedes aegypti. "O ministério está engajado no desafio para o enfrentamento do mosquito no Brasil", afirmou.

Os leituristas de contas de luz de todas as distribuidoras associadas à Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee) irão marcar em seus aparelhos de medição as áreas suspeitas de ocorrência. "Os avisos irão imediatamente para centrais das distribuidoras, que repassarão os dados para os órgãos competentes", acrescentou o ministro.

Além disso, todas as contas de luz e gás do País virão com a mensagens sobre a importância do combate ao mosquito vetor do zika vírus, como "O mosquito que mata não pode nascer". "Também faremos uma limpeza em todas as instalações do setor, como subestações. Usaremos toda a nossa capilaridade e capacidade para levarmos nossa mobilização a esses locais", disse Braga.

O presidente da Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto, disse que os 24 mil funcionários da estatal também estarão engajados na campanha. Os presidentes das 16 empresas do grupo inclusive terão uma reunião sobre o tema. "Vamos ter uma preocupação especial no entorno das nossas usinas", completou o executivo.

Mais conteúdo sobre:
zika, aedes aegypti dengue

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.