1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Líder do PT na Câmara anuncia novo mutirão contra o 'Aedes'

- Atualizado: 15 Fevereiro 2016 | 19h 35

Ação ocorrerá na próxima sexta-feira, 19; segundo José Guimarães, combate ao mosquito é a maior preocupação do Planalto

Ministro da Saúde apresentou balanço do mutirão realizado no sábado, 13

Ministro da Saúde apresentou balanço do mutirão realizado no sábado, 13

BRASÍLIA - Algumas horas após a primeira reunião de coordenação política de 2016 com a presidente Dilma Rousseff, o líder do PT na Câmara, José Guimarães (PT-CE), anunciou uma nova mobilização nacional contra o Aedes aegypti na próxima sexta-feira, 19.

De acordo com Guimarães, o combate ao mosquito, que é vetor dos vírus da dengue, febre chikungunya e do zika, é a maior preocupação do Palácio do Planalto e foi a principal pauta do encontro desta segunda-feira, 15. "Não é uma campanha de governo, e sim da sociedade brasileira", disse.

Dicas para evitar o mosquito 'Aedes aegypti'
James Gathany/CDC/AP
'Aedes aegypti'

O mosquito 'Aedes aegypti' é transmissor do zika vírus, da dengue e da chikungunya; veja a seguir dicas para evitá-lo

"Para a nova mobilização, todos os ministros estão sendo chamados mais uma vez para dar aulas e apresentar campanhas práticas. O objetivo é permitir que a população possa participar individualmente na sua casa, dando a sua contribuição", explicou Guimarães.

A última ação nacional foi realizada neste sábado, 13. Para ele, o balanço do ato foi "muito forte e positivo", principalmente por causa da velocidade com que a campanha foi planejada e realizada. Fato que, segundo o petista, deve ser destacado por "todos aqueles que querem eliminar o mosquito".

Neste sábado, 13, todos os 31 ministros foram convocados a escolher uma cidade e demonstrar apoio público à mobilização. Apenas dois deles não conseguiram participar presencialmente, mas foram representados pelos secretários-executivos das pastas.

A presidente Dilma participou da campanha no Rio de Janeiro. Ao todo, 220 mil militares das Forças Armadas atuaram em 356 cidades de todo o País. A campanha atingiu mais de dois milhões de residências e consistiu na entrega de panfletos e conscientização sobre como eliminar os focos do Aedes aegypti

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em SaúdeX