Lula diz que sucessor terá que destinar mais recursos para a saúde

Presidente criticou durante evento em SP os partidos de oposição que, em 2007, derrubaram a CPMF

Agência Brasil

25 Março 2010 | 16h37

Dilma Rousseff, José Serra e o presidente Lula durante evento em Tatuí (SP)

 

TATUÍ - Ao discursar nesta quinta-feira, 25, em Tatuí (SP), na cerimônia de entrega de 650 ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o próximo presidente que vencer as eleições terá que discutir a destinação de mais recursos para a área da saúde.

 

O discurso de Lula foi acompanhado pela pré-candidata do PT à Presidência da República, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff e pelo governador de São Paulo, José Serra (PSDB), apontado como provável candidato tucano. Lula voltou a criticar os partidos de oposição que, em 2007, derrubaram a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), o que acarretou perdas em torno de R$ 40 bilhões aos cofres do governo.

 

"Eu quero dizer, aqui, a vocês: quem quer que seja presidente da República depois de mim, vai ter que discutir mais dinheiro para a saúde. Não tem alternativa. Não é possível fazer saúde neste país sem dinheiro, custa caro".

 

"Fiquei muito magoado e muito ofendido quando a minha oposição no Senado derrubou a CPMF. Não conheço um empresário no Brasil que reduziu o custo do seu produto em 0,38%, que é o que a gente pagava no cheque. Não conheço nenhum. Entretanto, tiraram da União R$ 40 bilhões por ano, e a gente, que tinha feito um plano de saúde para atender até criança na escola".

 

Segundo o Ministério da Saúde, o Samu dispõe de 1.488 ambulâncias habilitadas, que atendem a 1.234 municípios no país. Com as 650 novas ambulâncias, o Samu passa a contar com 2.138 veículos o que dá a capacidade de prestar socorro a uma população de quase 130 milhões de pessoas. Isso corresponde a 67,7% da população brasileira. Até dezembro de 2010 há previsão de serem entregues outras 1.662 ambulâncias.

Mais conteúdo sobre:
Lula presidente eleiçoes saude recursos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.