Mais dez macacos são achados mortos com febre amarela em Jundiaí

Já são 58 os casos positivos da doença em primatas na cidade, que está em área de risco para a febre amarela.

José Maria Tomazela, Sorocaba

28 Outubro 2017 | 12h13

SOROCABA – Mais dez macacos achados mortos em Jundiaí, interior de São Paulo, tiveram confirmada a febre amarela como causa da morte, neste sábado (28). Agora, já são 58 os casos positivos da doença em primatas na cidade, que está em área de risco para a febre amarela. Outros 39 casos aguardam o resultado de exames.

+ Prefeitura de SP quer vacinar 2,5 milhões contra a febre amarela

Na cidade, 223,5 mil pessoas foram vacinadas desde que foi iniciada a campanha de imunização, em abril deste ano. Com as pessoas que já haviam sido vacinadas em anos anteriores, a prefeitura acredita que 80% da população está imunizada.

Parque do Corrupira, importante área pública de lazer da cidade, está interditada há uma semana. No Grêmio Clube de Campo, um dos principais clubes campestres privados, pessoas não vacinadas têm o acesso barrado. Em áreas verdes dos dois locais foram achados macacos com a doença. Na segunda-feira (30), as principais unidades de saúde vão funcionar em horário estendido, até as 20 horas. Em Campinas, Itatiba, Valinhos e Várzea Paulista, a população faz fila em unidades de saúde, neste sábado (28), para tomar a vacina da febre amarela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.