Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

Médico de Sofia em Miami lamenta morte da menina: 'triste dia'

Rodrigo Vianna, que coordenou equipe de transplante, disse que estava ao lado da criança e dos pais no momento da morte

O Estado de S. Paulo

14 Setembro 2015 | 15h49

O médico da bebê Sofia lamentou nesta segunda-feira, 14, a morte da menina. "Apesar de não ter vontade de trabalhar hoje, eu sei que vou continuar esta eterna luta pelo próximo paciente, sempre tentando devolver ou estender a vida nem que seja por um instante", disse Rodrigo Vianna, brasileiro que coordena a equipe que realizou o transplante em Sofia no hospital Jackson Memorial, em Miami. A menina morreu após uma parada cardiorrespiratória na madrugada desta segunda. 

A criança, portadora de uma doença rara, foi submetida a um transplante múltiplo do aparelho digestivo, mas não resistiu a uma infecção contraída depois que deixou o hospital para se recuperar em casa, no regime de home care. Sofia estava na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital e não reagiu ao tratamento. 

Vianna publicou em sua página pessoal no Facebook uma mensagem de pesar pela morte da menina. Segundo ele, a equipe estava do lado de Sofia e seus pais na hora da morte."Triste dia. Como médico, meio titio e pai de três filhos, a nossa profissão tem momentos lindos de cura mas também momentos de extrema dor. Jamais estaremos completamente preparados para isto", disse. 

Segundo ele, Sofia tinha "uma alegria incrível e deixará saudades". "Descanse em paz, bonequinha. Tenho certeza que irá arrancar um largo sorriso de Deus com tua alegria e sorriso contagiante", disse ainda o médico. 

Triste dia. A Sofia foi a primeira criança a morrer aqui em 2105. Nos estavámos do lado dela e de seus pais na hora da... Posted by Rodrigo Vianna on Segunda, 14 de setembro de 2015

Mais conteúdo sobre:
Bebê Sofia Miami

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.