Médicos suspendem atendimento a planos de saúde em mais cinco estados

Amazonas, Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina e Tocantins param atendimento a pacientes a partir desta segunda-feira, 15

Agência Brasil,

15 Outubro 2012 | 15h39

 Médicos no Amazonas, no Rio Grande do Sul, em Rondônia, em Santa Catarina e no Tocantins suspendem, a partir de hoje (15), o atendimento a pacientes de planos de saúde. Em oito estados, também há paralisações – no Acre, na Bahia, no Maranhão, em Mato Grosso do Sul, em Minas Gerais, no Pará, em São Paulo e em Sergipe.

Esta é a quarta suspensão anunciada pela categoria em dois anos. De acordo com o Conselho Federal de Medicina (CFM), durante o movimento, não serão realizadas consultas e cirurgias eletivas. Segundo o órgão, os pacientes foram informados previamente sobre a paralisação e terão que remarcar o atendimento. Serviços de urgência e emergência não serão afetados.

Além do reajuste de honorários de consultas e de outros procedimentos, a pauta de reivindicações inclui a inserção, em contrato, de critérios de reajuste, com índices definidos e periodicidade e o fim da intervenção dos planos na relação médico-paciente.

Dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) indicam que, entre 2003 e 2011, a receita das operadoras cresceu 192%, enquanto o valor médio pago por consulta aumentou 65%. Cálculos da própria categoria, entretanto, indicam que houve reajuste de 50%.

Mais conteúdo sobre:
greve médicos planos de saúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.