Menina britânica que ganhou direito de morrer é operada

Jovem de 14 anos acabou mudando de ideia e foi submetida a transplante de coração em Londres

BBC Brasil, BBC

29 Julho 2009 | 11h39

Uma menina britânica de 14 anos que havia conquistado junto ao sistema de saúde do país o direito de não ser operada por ter um estado de saúde frágil mudou de ideia e passou por um transplante de coração nesta quarta-feira.  

 

linkAdolescente britânica doente obtém direito de morrer

linkPai relata em livro luta pela morte da italiana Eluana

linkMaestro britânico e esposa viajam para morrer juntos em clínica suíça

O hospital Great Ormond Street, em Londres, confirmou que Hannah Jones foi internada e é paciente, mas não revelou mais detalhes sobre o caso.

Ela teve seu coração enfraquecido decorrente de remédios usados no combate à leucemia. Sem a operação, ela teria poucos meses de vida.

Hannah teria sido transferida na noite de terça-feira de Maiden, sua cidade, para Londres, onde passou pelo transplante.

Hannah ganhou notoriedade na Grã-Bretanha em novembro do ano passado, quando o Herefordshire Primary Care Trust, entidade que administra um hospital onde a menina era tratada, entrou com uma ação na Justiça para obrigá-la a ser submetida a um transplante de coração, argumentando que sem a operação ela morreria.

Na época, ela recusou-se a ser operada porque a cirurgia tinha poucas chances de sucesso e, mesmo se bem-sucedida, exigiria cuidados médicos intensivos. A menina havia dito que preferia morrer com dignidade.

Em novembro, o Herefordshire Primary Care Trust desistiu da ação na Suprema Corte da Grã-Bretanha, depois que um assistente social atestou que a jovem estava firme na sua decisão.

Os pais da menina haviam apoiado a sua decisão. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.