México suspende aulas até 6 de maio; EUA confirmam 50 casos

Espanha, Escócia e Canadá também têm casos; OMS avalia declarar existência de uma pandemia

da Redação,

27 Abril 2009 | 15h22

SÃO PAULO - Com 149 mortes suspeitas no México entre quase 2 mil pacientes, 50 casos confirmados nos Estados Unidos, seis no Canadá e três no continente europeu - dois no Reino Unido e um na Espanha - a gripe suína que surgiu em território mexicano em meados de abril poderá ser declarada oficialmente uma pandemia, ou epidemia de alcance mundial, pela Organização Mundail da Saúde (OMS) ainda na tarde desta segunda-feira, 27.

 

Veja também

especial Saiba como age o vírus da gripe suína

linkGripe suína registrada em cinco Estados dos Estados Unidos

linkCasal é internado em MG com suspeita de gripe suína

linkCom na Espanha, gripe suína chega à Europa

linkEstado de emergência é 'precaução', diz Obama

linkNão há evidências de casos no Brasil

linkEUA declaram emergência de saúde pública

lista Entenda a doença e saiba como ela é transmitida

mais imagens Galeria: Gripe suína 

 

O governo mexicano suspendeu as aulas em todo o país até 6 de maio, e o número total de mortes atribuídas á gripe suína chega a 149 no território do país.

 

Já segundo os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) do governo dos EUA, são sete casos na Califórnia, dois em Kansas, 28 na cidade de Nova York, um em Ohio e dois no Texas. Nenhum óbito foi registrado. No continente norte-americano há ainda seis casos confirnados no Canadá.

 

A cidade de Nova York já confirmou 45 casos ou suspeitas de gripe suína e este número deve aumentar com a realização de testes em mais de 100 estudantes doentes, disse o prefeito, Michael Bloomberg. 

 

 O surto de gripe suína parece estar contido em uma escola de ensino médio em um bairro do Queens, afirmou ele. "Acreditamos que há provavelmente mais de 100 casos de gripe suína na escola e testes laboratoriais estão confirmando o que suspeitávamos", afirmou Bloomberg em coletiva de imprensa.

 

 

 "Estamos seguindo de perto o aumento dos casos nos EUA. Isto é obviamente um motivo de preocupação que requer um alto nível de alerta, mas não é um motivo para alarme", disse, por sua vez, o presidente Barack Obama, em discurso na Academia Nacional de Ciências.

 

Na manhã desta segunda-feira, a Espanha havia confirmado um caso da doença, tornando-se o primeiro país europeu a registrar oficialmente a presença da gripe suína. Horas mais tarde, autoridades escocesas confirmaram dois casos no país.

 

Além dos países com casos confirmados, há casos suspeitos em várias partes do mundo. A Alemanha investiga três pacientes que podem estar com o vírus causador da doença, o H1N1. Outros países que podem estar enfrentando casos da doença são Austrália, Nova Zelândia, Israel e Peru.

 

Ampliada às 16h18 e atualizada às 4h40

Mais conteúdo sobre:
gripe suína

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.