Milhares se reúnem nos EUA para ver 'flor-cadáver' desabrochar

Museu tem de ficar aberto 24 horas para receber todos os curiosos que aguardam o cheiro da flor

REUTERS

16 Julho 2010 | 18h01

Visitantes do museu de Houston aguardam o intenso fedor da planta indonésia. Alyson Zepeda/Reuters

 

Milhares de pessoas aguardam que uma das maiores e mais raras flores do mundo desabroche. Mas quando Lois a Flor-Cadáver finalmente se abrir, eles provavelmente tentarão prender o fôlego.

 

Esta será a primeira vez em que a planta de sete anos terá produzido a flor malcheirosa pela qual é conhecida, e o botão deve durar apenas três dias.

 

Depois disso, Lois pode nunca mais florescer de novo, disse Zac Stayon, horticultor do Museu de História Natural de Houston, onde a planta de 1,67 metro é a atração principal.

 

"Isto é enorme. É uma das maiores atrações que já tivemos aqui", disse ele.

 

A flor tem sua própria webcam e conta no Twitter. O museu tem ficado aberto 24 horas para os visitantes.

 

 Lois, que será a vigésima-nona da espécie a florescer nos Estados Unidos, cheira como uma abóbora embolorada antes de desabrochar, explicou Stayton. Mas ela em breve emitirá um potente fedor de carne podre, que atrairá moscas para a polinização.

 

Os mais de 4.000 visitantes diários estão desapontados porque a planta ainda não fede, disse Latha Thomas, vice-presidente de marketing e comunicações do museu.

 

"Eles querem cheirar a flor. Acho que é por isso que continuam a voltar e voltar, porque estão entusiasmados para cheirá-la".

Mais conteúdo sobre:
flor botânica texas eua

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.