1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Militares vão visitar casas a partir de segunda-feira

- Atualizado: 13 Fevereiro 2016 | 12h 04

Presidente circulou pelas ruas do bairro, cumprimentando moradores e visitando casas; ação ocorre em todo o País

SÃO PAULO - As Forças Armadas vão iniciar as visitas às casas no combate ao mosquito Aedes aegypti a partir da próxima segunda-feira, 15. Cerca de 50 mil militares vão fazer visitas, junto de agentes de saúde, aos possíveis focos de proliferação e aplicarão larvicida em criadouros, além de orientar moradores. Se for necessário, eles vão poder entrar à força nos imóveis para eliminar locais propícios à reprodução do mosquito. 

Neste sábado, 13, os militares fazem uma grande operação de conscientização da população em todo o País para combater a proliferação do mosquito Aedes Aegypti. A cidade de São Paulo concentrou o maior efetivo do Estado com 2.789 militares do Exército, 1.752 da Aeronáutica e 480 da Marinha.

Marinha, Exército e Força Aérea realizam panfletagem na região de Santana na zona norte da capital paulista em campanha de conscientização no combate ao Aedes aegypti

Marinha, Exército e Força Aérea realizam panfletagem na região de Santana na zona norte da capital paulista em campanha de conscientização no combate ao Aedes aegypti

Os militares vão distribuir panfletos para a população e dar uma breve explicação sobre dengue e o vírus zika, e as formas de prevencao. Os trabalhos começaram às 10h e vão até as 16h.

Segundo o coronel da Aeronáutica,  Marcos Ribeiro, as Forças Armadas tem a confiança da população. "Isso ajuda na questão de fazer o cidadão tomar a iniciativa de também participar desse trabalho de conscientização e prevenção", afirmou. O trabalho também será realizado nos aeroportos de Congonhas e Cumbica,  em Guarulhos. 

 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em SaúdeX