Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Governo confirma 35 casos de febre amarela desde julho, com 20 mortes

Maior parte das ocorrências está concentrada no Estado de São Paulo, onde houve 20 infecções, com 11 óbitos

Lígia Formenti, O Estado de S.Paulo

16 Janeiro 2018 | 18h46

BRASÍLIA - O número de casos de febre amarela avança no Brasil. De julho de 2017 a 14 de janeiro, foram confirmados 35 casos da doença, com 20 mortes. A maior parte das ocorrências está concentrada em São Paulo. O Estado contabiliza 20 infecções confirmadas, com 11 óbitos. Os registros são significativamente maiores do que os apresentados na última semana de dezembro. Na ocasião, o País contabilizava quatro infecções confirmadas, com uma morte.

+++ Veja onde se vacinar contra febre amarela na cidade de São Paulo

Os dados foram apresentados nesta terça-feira, 16, pelo Ministério da Saúde, horas depois de a Organização Mundial da Saúde (OMS) mudar a recomendação da vacina no País. A organização recomenda agora que viajantes internacionais com destino ao Estado de São Paulo se vacinem contra a doença.

+++ Briga por vacina de febre amarela termina na delegacia no ABC paulista

De acordo com o ministério, a mudança estabelecida pela OMS não altera a estratégia definida para vacinação em São Paulo. O Estado, ao lado de Bahia e Rio de Janeiro, vai reforçar a vacinação e passar a ofertar doses fracionadas da vacina, em áreas consideradas estratégicas.

+++ Campanha de vacinação contra febre amarela em São Paulo será antecipada em uma semana

Em São Paulo, a campanha será ampliada e antecipada. Em vez de a iniciativa ter início no dia 3 de fevereiro, como havia sido previsto, a campanha começa no dia 29 de janeiro.  A meta é vacinar 8,3 milhões de pessoas no Estado. Serão dois "Dias D", datas em que postos abrirão nos sábados, 3 e 17 de fevereiro.

"As áreas recomendadas pela vacinação continuam as mesmas", afirmou o ministro da Saúde em exercício, Antonio Nardi.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.