Ministério confirma que novo vírus 'primo' da dengue foi encontrado por pesquisadores

Circulação da Febre Zika no País, no entanto, só será confirmada após testes feitos em laboratórios de referência

Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

05 Maio 2015 | 19h05

SÃO PAULO - O Ministério da Saúde confirmou nesta terça-feira, 5, que pesquisadores da Universidade Federal da Bahia (UFBA) encontraram o Zika Vírus, que provoca doença semelhante à dengue, em amostras de sangue de pacientes do Estado nordestino. A confirmação da circulação desse vírus no Brasil só será feita pelo governo, porém, após a conclusão de testes feitos em laboratórios de referência para os quais as amostras foram enviadas.

O material foi encaminhado para o Instituto Evandro Chagas, no Pará, e para o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC). As amostras são de pacientes da cidade de Camaçari, na Bahia, que apresentaram sintomas semelhantes à dengue, com manchas e erupções no corpo, sem que um diagnóstico pudesse ser estabelecido. Exames feitos de forma independente por especialistas da UFBA detectaram a presença do vírus. 

Transmitido pelo Aedes aegypti e por outros tipos de mosquito, o Zika Vírus apresenta sintomas parecidos com os da dengue e da chikungunya, mas com menor gravidade. Os quadros suspeitos já reportados no Brasil foram caracterizados por febre baixa, vermelhidão nos olhos, dores nas costas, articulações, costas e cabeça e o chamado exantema (erupção na pele com pontos brancos ou vermelhos). Há relatos de pacientes com esse quadro nos Estados da Bahia, Maranhão, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Sergipe e Paraíba.

Caso se confirme a presença do Zika Vírus em pacientes brasileiros, será a primeira vez que a doença é registrada nas Américas. Até agora, o vírus já havia sido reportado em países da África e da Ásia.

Assim como no caso da dengue, o tratamento é apenas dos sintomas, com o uso de paracetamol para febre e dor. Não se recomenda o uso de medicamentos com ácido acetilsalicílico por causa do risco de complicações hemorrágicas. Os sinais e sintomas da doença duram, em média, sete dias e não há relato de mortes associadas ao Zika Vírus.

Mais conteúdo sobre:
zika virus dengue ministério da saúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.