Tasso Marcelo/AE
Tasso Marcelo/AE

Ministro abre em São Paulo campanha de combate a DST e aids

Mulheres com idades entre 15 e 24 anos são o principal alvo da campanha

Agência Brasil,

04 Março 2011 | 18h28

SÃO PAULO - O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, inicia na noite desta sexta, 4, no Sambódromo, a campanha de Combate a Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST/Aids) do ministério no carnaval 2011. Os principais alvos das ações do ministério nos quatro dias de folia serão as meninas e mulheres dos 15 a 24 anos. A campanha também incentiva a realização do teste de HIV.

"A pessoa poderá encontrar os preservativos nas unidades de saúde. Nas grandes festas de carnaval também haverá distribuição, e os blocos estão aderindo", disse. "Mas sobretudo, mulheres jovens, exijam a camisinha, esse é um ato de proteção da sua vida, e da vida do seu parceiro", destacou o ministro, em evento na cidade de Santo André, na Grande São Paulo.

De acordo com o Boletim Epidemiológico 2010 do Ministério da Saúde, já foram registrados 12.693 casos de aids em homens e mulheres jovens, de 13 a 19 anos, de 1980 até junho de 2010. Nessa faixa etária, o número de casos da doença é maior entre as mulheres: oito casos em meninos para cada dez em meninas. Nas demais faixas etárias, o número de casos de aids é maior entre homens do que entre mulheres.

Em relação ao uso da camisinha, a Pesquisa de Conhecimentos, Atitudes e Práticas da População Brasileira, de 2008, mostra que, entre jovens de 15 a 24 anos, as meninas estão mais vulneráveis ao HIV. Em todas as situações, os meninos usam mais preservativo do que elas. Na última relação sexual com parceiro casual, o porcentual de uso da camisinha entre as meninas é consideravelmente mais baixo (49,7%) do que entre os meninos (76,8%). Quando o relacionamento se torna fixo, apenas 25,1% delas utilizam a camisinha com regularidade; entre eles, o porcentual é de 36,4%.

O ministro participou na manhã desta sexta do lançamento em Santo André da Campanha de Distribuição Gratuita de Medicamentos para Hipertensão e Diabetes no programa Aqui Tem Farmácia Popular. Padilha e o prefeito de Santo André, Aidan Ravin, também lançaram a pedra fundamental da construção da primeira Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade, e entregaram as chaves de seis novas ambulâncias para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.