Morte em Uganda não foi por Ebola, diz Ministério da Saúde

Homem morreu com sintomas do vírus, cuja epidemia já deixou mais de 7 mil infectados; febre pertence à mesma família da doença

O Estado de S. Paulo

06 Outubro 2014 | 10h28

KAMPALA - O Ministério da Saúde de Uganda informou nesta segunda-feira, 6, que o homem que morreu no país há uma semana não estava infectado pelo vírus do Ebola. O profissional de saúde de 30 anos possuía sintomas similares aos da doença cuja epidemia ganhou força na África desde o primeiro semestre deste ano. A vítima morreu por complicações decorrentes da doença hemorrágica de Marburg.

O homem, que trabalhava com radiografias em um hospital de Kampala, capital de Uganda, morreu no dia 28 de setembro depois de ter dor de cabeça e dores abdominais. Ele também teve diarreia e vomitava sangue. Testes confirmaram que a vítima tinha Marburg, uma doença que pertence à mesma família do Ebola.

Um total de 80 pessoas que entraram em contato com o homem foram postas em quarentena e estão sendo monitoradas. Uganda possui histórico de febres hemorrágicas, incluindo uma epidemia de Ebola no ano 2000 que matou ao menos 224 pessoas. No entanto, na atual epidemia, o país não possui registro do vírus, que se espalhou por outros quatro países africanos. 

A febre de Marburg foi primeiramente detectada no ano de 1967 na cidade alemã de Marburgo por técnicos de laboratório que ficaram infectados quando estudavam macacos trazidos de Uganda. A pior epidemia da doença ocorreu em 2005, em Angola, onde 411 pessoas foram infectadas e 341 morreram./AP E EFE

Mais conteúdo sobre:
Ebola Uganda Febre de Marburg

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.