Mulher desenvolve feto entre intestinos durante 6 meses na Romênia

Feto estava morto há dois meses quando a gravidez foi descoberta

Efe,

10 Maio 2011 | 12h13

Bucareste - Uma romena de 31 anos desenvolveu um feto entre os intestinos sem saber durante seis meses, informou nesta segunda-feira, 9, a imprensa local citando fontes médicas.

Os médicos do Hospital de Emergências da cidade de Galati, ao leste do país, descobriram o feto morto depois que a mulher, Nicoleta Carja, chegou ao hospital após sentir dores abdominais e desmaiar.

A mulher estava em seu oitavo mês de gravidez e já estava há dois meses com o feto morto no abdômen.

Uma vez descoberto através de uma ultrassonografia, os médicos diagnosticaram uma "gravidez extrauterina abdominal", antes de extrair o corpo do feto mediante uma cesárea.

"É um caso extremamente raro, que foi possível pela migração do embrião fecundado das trompas uterinas à zona atrás do útero, entre os intestinos", disse à imprensa a doutora Alina Calin.

Uma "série de condições anormais" criadas no abdômen permitiu a substituição do útero por um "artificial" que possibilitou o desenvolvimento do feto fixado nos intestinos da mulher, que mantinha seu ciclo menstrual normalizado e não apresentava sintomas de uma gravidez.

Os médicos asseguram que nunca tinham visto um caso assim, e explicam que a mulher se salvou por milagre.

"A mulher poderia ter morrido de hemorragia", disse o doutor Nicolae Bacalbasa porta-voz do hospital.

Mais conteúdo sobre:
gravidez

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.