Andrea de Silva/Reuters
Andrea de Silva/Reuters

França restringe doações de sangue de quem viajou a locais com Zika

País europeu já registrou 18 casos, não autóctenes; autoridades locais temem a volta do mosquito no começo do verão, em junho

O Estado de S. Paulo

07 Fevereiro 2016 | 10h40

PARIS - A França restringiu as doações de sangue de pessoas que tenham viajado a zonas afetadas pela epidemia do vírus zika. A orientação é esperar 28 dias antes de fazer a coleta do sangue, de acordo com a ministra da Saúde, Marisol Touraine.

Em entrevista à imprensa local, ela destacou que as todas as doações têm sido verificadas para atestar que não haja contaminação. O governo ainda reiterou o conselho para que grávidas francesas evitem, "se puderem", viajar a regiões das Américas Central e do Sul afetadas pela epidemia. No caso dos territórios franceses na região do Caribe, como a Guiana e a Martinica, a recomendação é passar por um rigoroso acompanhamento médico. 

Segundo o Ministério da Saúde local, não há registro de casos autóctenes de zika na França. Os 18 casos identificados foram de pessoas que vieram de fora do País. A ministra acrescentou, porém, que "é preciso ter cuidado" porque os mosquitos devem voltar à França com a chegada do verão, em junho. / COM AGÊNCIAS

Mais conteúdo sobre:
zika dengue aedes aegyptu frança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.