USDA/Divulgação
USDA/Divulgação

Número grávidas com sintomas de zika mais que dobra no Rio

Também houve aumento dos casos de microcefalia no Estado: o número passou de 45, na semana passada, para 66

Alfredo Mergulhão, O Estado de S. Paulo

16 Dezembro 2015 | 18h42

RIO - O número de notificações de grávidas com sintomas de zika vírus mais que dobrou na última semana no Estado do Rio de Janeiro. A quantidade de mulheres em gestação que apresentaram manchas vermelhas na pele passou de 341 para 698, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES). 

Também houve aumento nos casos de microcefalia registrados no Estado. Até semana passada, havia 45 notificações feitas desde 1° de janeiro. O número passou para 66 casos, um salto de 46%.

Até o momento, 12 gestantes com suspeita de terem contraído zika vírus tiveram a comprovação de que realmente foram infectadas, mas ainda não há confirmação de que os fetos apresentam microcefalia. Todos esses registros ocorreram a partir de 18 de novembro deste ano, quando passou a ser obrigatória a notificação de gestantes com manchas vermelhas na pele. Há registros de pessoas contaminadas pelo zika vírus em 41 municípios fluminenses.

Do total de casos de microcefalia registrados, 55 são de bebês já nascidos e os outros 11 são fetos. Deste total, 20 mulheres relataram histórico de manchas vermelhas pelo corpo ao longo da gravidez.

Há ainda cinco registros da Síndrome de Guillain-Barré no Rio neste ano, um deles com relato de sintomas de zika vírus. Em três casos, a relação entre a doença e o vírus foi descartada. Outro caso continua em investigação.

"A situação é grave e coloca o Rio em uma situação de preocupação. Mas estamos atentos para combater o mosquito. É importante que cada um faça o dever de casa e se preocupe com o próprio quintal", disse o secretário estadual de Saúde, Felipe Peixoto, durante a apresentação do boletim epidemiológico. Após a divulgação dos dados, houve uma conversa online com perguntas e respostas sobre dúvidas a respeito do zika vírus.

Peixoto anunciou que na próxima semana serão entregues 160 carros para serem usados pelos agentes de endemias no combate ao mosquito nos municípios do Estado. O secretário também afirmou que será criada uma sala de situação para acompanhar a evolução do número de infectados pelo zika vírus e os casos em que ocorra agravamento do quadro para microcefalia ou Síndrome de Guillain-Barré.

O superintendente de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da SES, Mário Sérgio Ribeiro, pediu que as mães procurem o médico com rapidez e não fiquem desesperadas caso percebam manchas vermelhas na pele. "Há uma relação entre zika vírus e a microcefalia, mas não é 100%. A zika só vai provocar microcefalia se a doença se manifestar de forma aguda", explicou.

Mais conteúdo sobre:
Secretaria Estadual de Saúde Saúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.