OMS: 12 países tiveram casos de narcolepsia após vacina da gripe H1N1

Comitê assinalou que é preciso 'investigar mais' relação entre casos de narcolepsia e vacinação contra gripe

Efe,

08 Fevereiro 2011 | 08h47

GENEBRA - A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou nesta terça-feira, 8, que pelo menos 12 países registraram casos de narcolepsia em crianças e adolescentes que foram vacinados contra a gripe A H1N1.

 

Veja também:

linkVacina contra o HPV é eficiente também para homens

linkCientistas produzem vacina que funciona contra todas as cepas da gripe

linkEstudo mostra caso de transmissão da febre amarela na amamentação

link Algumas vacinas podem proteger crianças contra câncer

link Estudo britânico que relaciona vacinas a autismo era fraude

 

O comitê consultivo mundial da segurança de vacinas da OMS divulgou nesta terça-feira um comunicado no qual especifica que "desde agosto do 2010, e após maciças vacinações contra o vírus da gripe H1N1 em 2009, foram detectados casos de narcolepsia em crianças e adolescentes em pelo menos 12 países".

 

A porta-voz da OMS, Alison Brunier, não soube informar em entrevista coletiva nesta terça-feira quais são os países que detectaram os casos de narcolepsia, nem pôde confirmar se essa informação é ou não de domínio público.

 

O comitê assinalou que é preciso "investigar mais" para determinar a relação exata entre os casos de narcolepsia e a vacinação contra a gripe, seja com a vacina Pandemrix ou com outra.

 

Dessa forma, ainda não foi decidido retirar a vacina do mercado, mas ao contrário, a organização indica aos países que continuem vacinando "porque o risco de contrair a gripe frente à possibilidade de sofrer narcolepsia mostra que é melhor seguir imunizando", assinalou a porta-voz.

 

Para realizar tal pesquisa, o Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC) está atualmente fazendo estudos epidemiológicos sobre a relação entre a narcolepsia e as vacinas contra a gripe H1N1.

 

"Estes estudos podem ajudar a esclarecer se existe um aumento do risco de narcolepsia, que atualmente parece estar restringida aos meses que seguiram a vacinação, idade e país", assinala o comunicado do Comitê.

 

Na semana passada, a OMS anunciou que averiguava um aumento de casos de narcolepsia na Finlândia que poderia ter relação com a vacina Pandemrix, já que todos os afetados pareciam ter sido imunizados com o mesmo produto.

 

Alison especificou que apesar de em quase todos os casos os afetados terem sido vacinados com Pandemrix, não se exclui da pesquisa os casos em que os pacientes tenham sido imunizados com vacinas de outra marca.

 

O Governo da Finlândia informou casos de narcolepsia entre vacinados contra a gripe A entre quatro e 19 anos.

Mais conteúdo sobre:
narcolepsia OMS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.