OMS declara risco de pandemia de gripe suína iminente

A diretora da organização, Margaret Chan, avisa que todos os países devem ativar seus planos contra a doença

da Redação,

29 Abril 2009 | 16h41

 México soma 152 mortos e OMS eleva alerta da gripe suína
A Organização Mundial da Saúde (OMS) decidiu elevar o nível de alerta da gripe suína para fase 5, o que significa que uma epidemia em escala mundial - ou pandemia - é "iminente". A decisão vem dois dias depois de a classificação ter sido elevada de fase 3 ("casos esporádicos") para 4 ("transmissão entre humanos").

 

Veja também:

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde 

 

A informação da decisão foi divulgada pelo ministro da Saúde José Gomes Temporão, que a recebeu durante entrevista coletiva em Brasília, e cerca de uma hora depois confirmada pela própria organização.

Declaração da OMS

"É toda a humanidade que está em risco no caso de uma pandemia", disse a diretora da OMS, Margaret Chan. "Agora, todos os países devem ativar imediatamente seus planos de preparação".

 

"O mundo nunca esteve tão bem preparado para uma pandemia de influenza (gripe)", disse ela. "Pela primeira vez na história, podemos rastrear a pandemia em tempo real".

 

O vírus H1N1 se espalhou a partir do México e contaminou pessoas em pelo menos outros oito países. Trata-se de uma mistura inédita de vírus humano, aviário e suíno, e não está claro com que facilidade ele se dissemina em populações humanas, nem qual sua letalidade.

 

"Não importa qual seja a situação, a comunidade internacional deve tratar isso como uma janela de oportunidade para reforçar a resposta", afirmou.

 

Situação mundial

 

A decisão da OMS vem no mesmo dia em que a primeira morte provocada pela doença fora do México foi confirmada - a vítima era um bebê mexicano que se encontrava no Estado do Texas - e depois de o governo espanhol informar que um paciente no país não havia estado recentemente no México. Um dos critérios usados na avaliação de risco de pandemia é a capacidade de a doença se espalhar entre pessoas que não estiveram na área de origem do mal.

 

Os primeiros casos da variedade atual da gripe suína foram registrados no México em meados deste mês, mas a doença chamou atenção internacional no fim da semana passada, quando o governo mexicano, registrando então 60 possíveis mortes causadas pela doença, decidiu fechar as escolas do país para evitar a disseminação do vírus. De lá para cá, o total de casos suspeitos em todo o mundo chegou perto de 3 mil, embora apenas oito mortes tenham sido cientificamente atribuídas à doença.

 

Às 15h desta quarta-feira, a OMS registrava a presença da doença em nove países, com 91 casos cientificamente confirmados nos EUA, com uma morte; e 26 casos confirmados no México, com sete mortes.

 

Outros países com casos da doença confirmados em laboratório são Áustria (1), Canadá (13), Alemanha (3), Israel (2), Nova Zelândia (3), Espanha (4) e Reino Unido (5).

 

Os números citados por autoridades sanitárias dos diversos países muitas vezes superam os da OMS, como na Espanha (que reporta 10 casos confirmados) e no México (mais de mil casos suspeitos, com mais de 150 mortes atribuídas ao vírus).

 

Brasil

 

No Brasil, o Ministério da Saúde mantinha 36 pacientes sob observação, sendo que dois se enquadravam nos critérios de "suspeitos" de terem contraído a doença.

 

Efeitos da decisão

 

A elevação para o nível 5 sinaliza aos governos que o vírus está ficando cada vez mais capaz de se espalhar entre seres humanos, e que os países devem preparar seus planos de contenção de pandemia para ativação e afinar os sistemas de detecção de casos em potencial.

 

A indústria farmacêutica deverá reforçar a produção, disse Margaret Chan. Duas drogas antivirais - Relenza, produzida pela GlaxoSmithKline, e o Tamiflu, da Roche AG and Gilead Sciences Inc. - mostraram-se efetivas contra o vírus da gripe suína.

 

A fase 6, o nível mais alto da escala, significa que a pandemia está em andamento, com a doença se disseminando em pelo menos duas regiões do mundo.

 

Com a elevação do nível de alerta, a OMS também poderá emitir alertas de viagem, desaconselhando deslocamentos não essenciais a regiões que estejam enfrentando epidemias, restrições ao comércio e até o fechamento de fronteiras.

 

Entenda os níveis de alerta da OMS

 

Fase 1 - nenhum vírus que circula entre os animais causou infecção em humanos;

 

Fase 2 - um vírus que circula entre animais causou infecção em humanos, o que causa uma potencial ameaça pandêmica;

 

Fase 3 - casos esporádicos e pequenos focos da doença em humanos, mas que não têm suficiente capacidade de transmissão entre humanos;

 

Fase 4 - a transmissão entre humanos já é possível. Há um risco significativo de pandemia;

 

Fase 5 - o vírus se transmite de pessoa para pessoa em pelo menos dois países de uma região monitorada pela OMS. A pandemia é iminente;

 

Fase 6 - mostra que uma epidemia global está acontecendo.

 

(Ampliada às 18h03, com informações de agências internacionais)

Mais conteúdo sobre:
gripe suína

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.