1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

OMS pede que Europa se prepare para zika nos próximos meses

- Atualizado: 29 Janeiro 2016 | 14h 02

Entidade diz que nos atuais meses de inverno ameaça é 'extremamente baixa', já que o 'Aedes' não sobrevive no frio

GENEBRA - A Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que o risco de casos importados de zika vírus aumentou na Europa e que os próximos meses podem registrar um aumento na transmissão pelo Velho Continente. Mas aponta que, por enquanto, a ameaça de que a doença se espalhe pela Europa é "extremamente baixa" durante os meses atuais de inverno. 

Em um comunicado emitido nesta sexta-feira, 29, em Genebra, na Suíça, a entidade confirmou a proliferação de registros de pessoas que voltaram para a Europa contaminadas pelo vírus.

O mosquito 'Aedes aegypti' é transmissor do zika, da dengue e da chikungunya

O mosquito 'Aedes aegypti' é transmissor do zika, da dengue e da chikungunya

"Na medida em que o zika vírus continua a se espalhar pela América, o risco de que viajantes infectados entrem na Europa aumenta. Casos importados foram registrados em vários países europeus", confirmou a OMS, em uma referência a casos na Suíça, na Alemanha, na Espanha, na Itália e em outros países.

A entidade também alerta que o risco não é imediato. "Durante o inverno, o risco de uma transmissão do zika vírus pela Europa é extremamente baixo. Ainda que o mosquito Aedes esteja presente em vários países europeus, especialmente no Mediterrâneo, as atuais condições climáticas não são adequados para suas atividades", explicou.

Mas a OMS também diz que, com a primavera e verão nos próximos meses no Hemisfério Norte, o "risco da transmissão na Europa vai aumentar, já que os mosquitos encontrarão melhores bases para se proliferar em climas mais quentes".

A OMS sugere que os países europeus usem os atuais meses para "se preparar para detectar e administrar as infecções em viajantes vindos de países afetados". 

"Países onde o mosquito do Aedes está presente devem se preparar para lidar com o risco de uma proliferação do zika na primavera e verão", indicou. "Países europeus podem usar sua experiência com a dengue e chikungunya para controlar esses mosquitos", disse.

A OMS sugere que os governos "fortaleçam o controle dos vetores, monitoramento e laboratórios para detectar o vírus e complicações neurológicas, assim como a comunicação sobre o zika". "Isso vai ajudar a reduzir a presença do Aedes e, assim, o risco de zika se espalhar pela Europa", completou.

Dicas para evitar o mosquito 'Aedes aegypti'
James Gathany/CDC/AP
'Aedes aegypti'

O mosquito 'Aedes aegypti' é transmissor do zika vírus, da dengue e da chikungunya; veja a seguir dicas para evitá-lo

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em SaúdeX