Divulgação
Divulgação

Para o carnaval, OMS sugere vacina contra febre amarela a turistas

Recomendação para quem for viajar ao Brasil é de que imunização ocorre 10 dias antes do embarque; nesta quarta, entidade ampliou área de risco - veja a lista

Jamil Chade, Correspondente de O Estado de S. Paulo

15 Fevereiro 2017 | 11h51

GENEBRA - A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a turistas estrangeiros que estejam pensando em viajar a áreas de risco no Brasil para o carnaval que tomem vacinas contra a febre amarela dez dias antes de embarcar. Em um comunicado publicado nesta quarta-feira, 15, em Genebra, na Suíça, a entidade ampliou as "áreas de risco" da doença no Brasil, incluindo novos municípios dos Estados da Bahia, do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. 

A OMS aponta que "atualmente não existe evidência de transmissão do vírus da febre amarela nas grandes áreas metropolitanas da costa leste, como Rio, Salvador ou São Paulo".

As novas recomendações, porém, foram feitas "diante da situação que se desenvolve" e considera que turistas "nas próximas semanas podem fazer tours fora das principais cidades".

Segundo a OMS, o visitantes devem ser vacinados dez dias antes de viajar e uma só dose é considerada como suficiente para garantir imunidade. Para pessoas com contraindicações em relação à vacina, a OMS sugere que um médico seja consultado. Isso inclui crianças com menos de 9 meses, mulheres grávidas, que estejam amamentando ou pessoas acima de 60 anos de idade. 

Uma vez no Brasil, o turista deve tomar "medidas para evitar picadas de mosquito", conhecer os sintomas da febre amarela e, caso desenvolva algum mal-estar, procurar imediatamente um médico.

"A transmissão da febre amarela continua em expansão em direção à costa atlântica do Brasil, em áreas que não eram consideradas de risco para a febre amarela antes da revisão realizada pela OMS, no final de janeiro de 2017", explica o comunicado da entidade. 

No caso do da Bahia, a OMS aponta que as áreas novas de risco de febre amarela incluem os municípios de Alcobaça, Belmonte, Canavieiras, Caravelas, Ilhéus, Itacaré, Mucuri, Nova Viçosa, Porto Seguro, Prado, Santa Cruz Cabrália, Una, Uruçuca, Almadina, Vereda, Vitória da Conquista e uma dezena de outras.

Já no Espírito Santo, o Estado inteiro é considerado como área de risco, com a exceção da zona urbana de Vitória. 

Para o Estado do Rio, o risco está associado com municípios que fazem fronteira com Minas Gerais e Espírito Santo, como Bom Jesus do Itabapoana, Cambuci, Miracema, Campos dos Goytacazes e São João da Barra.

Conheça a lista completa da OMS de novas áreas sob risco de febre amarela:

- Bahia

Alcobaça

Belmonte

Canavieiras

Caravelas

Ilhéus

Itacaré

Mucuri

Nova Viçosa

Porto Seguro

Prado

Santa Cruz Cabrália

Una

Uruçuca

Almadina

Anagé

Arataca

Barra do Choça

Barro Preto

Belo Campo

Buerarema

Caatiba

Camacan

Cândido Sales

Coaraci

Condeúba

Cordeiros

Encruzilhada

Eunápolis

Firmino Alves

Floresta Azul

Guaratinga

Ibicaraí

Ibicuí

Ibirapuã

Itabela

Itabuna

Itagimirim

Itaju do Colônia

Itajuípe

Itamaraju

Itambé

Itanhém

Itapé

Itapebi

Itapetinga

Itapitanga

Itarantim

Itororó

Jucuruçu

Jussari

Lajedão

Macarani

Maiquinique

Mascote

Medeiros Neto

Nova Canaã

Pau Brasil

Piripá

Planalto

Poções

Potiraguá

Ribeirão do Largo

Santa Cruz da Vitória

Santa Luzia

São Jose da Vitória

Teixeira de Freitas

Tremedal

Vereda

Vitória da Conquista.

- Espírito Santo

Todo o Estado, exceto a área urbana de Vitória.

- Rio de Janeiro

Bom Jesus do Itabapoana

Cambuci

Cardoso Moreira

Italva

Itaperuna

Laje do Muriaé

Miracema

Natividade

Porciúncula

Santo Antonio de Pádua

São Fidelis

São Jose de Ubá

Varre-Sai

Campos dos Goytacazes

São Francisco de Itabapoana

São João da Barra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.