Arquivo/AE
Arquivo/AE

Pacientes do SUS poderão ter direito a remédios que estejam fora da tabela

Projeto, que também prevê atualização das tabelas e dos protocolos clínicos, será apreciado na Câmara

Agência Brasil

12 Maio 2010 | 15h04

BRASÍLIA - Um novo capítulo na Lei Orgânica de Saúde, aprovado nesta quarta-feira, 12, pelo Senado, prevê uma série de exigências ao Estado para garantir tratamento médico e fornecimento de medicamentos aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Pelo projeto, o poder público não pode deixar de fornecer medicamentos e produtos de saúde aos pacientes, mesmo que a substância não conste nas tabelas do SUS.

 

Veja também:

linkBrasil abre guerra por remédios genéricos na OMC contra Europa

linkPesquisadores apontam Brasil e Cuba como modelo para remédios baratos

linkDisputa no governo reduz oferta de genéricos no País

 

De autoria do senador Tião Viana (PT-AC) a matéria tramitou em caráter terminativo na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) e agora vai à apreciação da Câmara. O projeto prevê também a atualização das tabelas do SUS e dos protocolos clínicos, pelo menos uma vez ao ano.

 

A obrigatoriedade do fornecimento medicamentos ou produtos de saúde pelo SÚS estará condicionada ao cumprimento de alguns requisitos como a eficácia do medicamento prescrito com o devido registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

 

O projeto de lei estabelece que o SUS será obrigado a fornecer remédios ou produtos de saúde sem a necessidade de prescrição e laudo médico ou a comprovação do registro quando a atualização das tabelas deixarem de ser feitas no prazo estabelecido.

Mais conteúdo sobre:
SUS medicamentos remedios pacientes tabela

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.