Painel da FDA pede mudança de indicação do Avastin nos EUA

Testes clínicos do medicamento contra o câncer de mama fracassaram em demonstrar benefícios

André Lachini, da Agência Estado

21 Julho 2010 | 10h59

SÃO PAULO - Um painel da Agência de Drogas e Alimentos dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês) informou na última terça-feira que a indicação para o medicamento Avastin, usado no tratamento do câncer de mama, deveria ser removida, após testes clínicos terem fracassado em demonstrar os benefícios do remédio.

 

A FDA tomará a decisão final sobre se removerá ou não a indicação. Se isso ocorrer, significará que a indústria farmacêutica Roche, que produz o Avastin, não poderá comercializar mais o produto para tratamento de câncer de mama, embora possa continuar a vendê-lo para uso contra tumores de cólon, pulmões e outros tipos da doença para o qual foi aprovado.

 

No ano passado, a venda do Avastin somou US$ 6 bilhões no mundo todo. Se a indicação para tratamento do câncer de mama for removida, analistas estimam que as vendas anuais do medicamento sofrerão um corte de US$ 1 bilhão.

 

O painel da FDA teve 12 votos a favor e 1 contra pela remoção do Avastin no uso de tratamento avançado ou de câncer de mama em estágio de metástase. A FDA deverá tomar uma decisão final sobre o tema em 17 de setembro.

 

As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Avastin câncer de mama FDA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.