Pesquisadores desenvolvem cristais 100% orgânicos que brilham

Compostos não-metalicos podem levar à criação de telas mais baratas e eficientes

Estadão.com.br

15 Fevereiro 2011 | 12h52

 

 

Compostos orgânicos puros que brilham em tons de joias podem potencialmente levar a telas mais baratas, eficientes e flexíveis, entre outras aplicações, de acordo com pesquisadores da Universidade de Michigan, que desenvolveram uma nova classe de material que brilha com a fosforescência - uma propriedade que tem sido encontrada apenas em compostos não-orgânicos ou organometálicos.

 

Jinsang Kim e seus colegas conseguiram produzir cristais não-metálicos e orgânicos, brancos na luz e azul, verde, amarelo e laranja quando expostos à luz ultravioleta. Os pesquisadores podem alterar suas cores ao alterar a composição dos materiais químicos.

 

O novo material luminoso poderia melhorar os atual diodos orgânicos emissores de luz (OLEDs em sua sigla em inglês), feitos com compostos de carbono, mas não 100% orgânicos. OLEDs brilhantes e de baixa potência são utilizados em algumas pequenas telas de telefones celulares ou câmeras. Neste momento, eles não são práticos para uso em telas maiores devido aos custos materiais e problemas de fabricação.Os OLEDs de hoje não são 100 % orgânicos, ou feitos de compostos de carbono. Os materiais orgânicos utilizados em si deve ser enriquecida com metal para fazê-los brilhar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.