Divulgação
Divulgação

Prefeitura de Sorocaba tira 60 toneladas por dia de criadouros do mosquito da dengue

Cidade tem o maior número de casos da doença do Estado de SP

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

02 Abril 2015 | 18h42

SOROCABA - A prefeitura de Sorocaba, interior de São Paulo, recolhe em média, por dia, 60 toneladas de possíveis criadouros de dengue espalhados por bairros da cidade. O serviço é realizado por 16 caminhões, duas retroescavadeiras e 42 funcionários. Os materiais inservíveis são levados para o aterro sanitário. Foram recolhidas 44 toneladas apenas de possíveis criadouros ativos do mosquito da dengue em 14 bairros da cidade.

Boletim divulgado na quarta-feira, 1, confirma Sorocaba com o maior número de casos de dengue no Estado. São 32.006 casos confirmados por exames ou diagnóstico, dos quais 22 resultaram em mortes - sete confirmadas e 15 em investigação. A cidade responde por um terço dos 101 mil casos de dengue no Estado. Um decreto do prefeito Antonio Carlos Pannunzio (PSDB) permite o recrutamento de servidores de qualquer setor para atuar no controle da epidemia de dengue.

Em Votorantim, cidade vizinha, a prefeitura conseguiu liminar, nesta quinta-feira, 2, para entrar à força na casa de uma moradora do bairro Promorar que vinha impedindo a entrada dos agentes. Durante quatro horas, os funcionários recolheram pelo menos dez toneladas de materiais. Foram usados quatro caminhões para remover lixo e objetos inservíveis. Outros oito imóveis serão alvo de inspeção. A cidade tem 1.087 casos de dengue.

Campinas. O município de Campinas já tem 14.091 casos confirmados de dengue, conforme balanço do Departamento de Vigilância em Saúde. Há ainda 5.122 registros à espera de exames. Três mortes foram confirmadas e seis estão sob investigação. Dois óbitos, de um rapaz de 24 anos e de uma mulher de 53, ocorreram em março, mas só agora tiveram a causa confirmada.

Em Limeira, na mesma região, a prefeitura baixou decreto determinando que qualquer paciente com suspeita de dengue seja afastado do serviço por sete dias. A medida, com o objetivo de evitar a disseminação da doença, tem desfalcado o comércio local. A cidade tem 20.586 casos notificados e dez mortes confirmadas, além de cinco sob investigação. Em Rio Claro, a Fundação de Saúde investiga mais uma morte - uma paciente de 95 anos morreu segunda-feira, 30, e houve diagnóstico de dengue.

Mais conteúdo sobre:
Dengue

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.