1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Presidente Prudente tem cinco mortes por dengue e pede apoio

- Atualizado: 24 Fevereiro 2016 | 20h 41

Prefeitura anunciou a contratação emergencial de mais 28 agentes, elevando para 140 o efetivo exclusivo para combate ao 'Aedes'

SOROCABA - A prefeitura de Presidente Prudente, no oeste do Estado de São Paulo, confirmou nesta quarta-feira, 24, cinco mortes causadas pela dengue na cidade este ano. Outros quatro óbitos estão em investigação. O secretário de Saúde, Sérgio Luiz Cordeiro de Andrade, fez um apelo à população pedindo apoio. “Os óbitos são lamentáveis, pessoas morrendo por uma doença que pode ser evitada com cuidados básicos, como o descarte de recipientes que possam acumular água”, afirmou.

A prefeitura anunciou a contratação emergencial de mais 28 agentes, elevando para 140 o efetivo de pessoal exclusivo para combate ao Aedes aegypti. A doença vitimou uma idosa de 83 anos e três homens, com idades de 55, 64 e 87 anos. De acordo com o secretário, a maioria tinha outra morbidade.

Segundo ele, a doença não escolhe classe social. Nos nove casos, entre óbitos confirmados e suspeitos, apenas um paciente foi atendido na rede municipal de saúde, enquanto os outros receberam atendimento por meio de convênio particular. A cidade já convive com epidemia de dengue, com 4.088 casos notificados este ano e 2.768 confirmados.

Microcefalia. Em Sorocaba, a Secretaria de Saúde confirmou nesta quarta-feira o primeiro caso de microcefalia registrado este ano na cidade. O bebê nasceu há duas semanas com a má-formação e uma possível relação com o zika vírus está sendo investigada. No quinto mês de gravidez, a mãe viajou para o Rio Grande do Norte, região de alto risco. Outro caso de microcefalia foi notificado em dezembro de 2015 em uma gestante, mas a investigação será iniciada após o nascimento do bebê.

De acordo com o boletim, a cidade tem ainda quatro casos de zika vírus confirmados através de exames clínicos e laboratoriais, além de 16 casos em observação. Em todos eles, os pacientes podem ter adquirido a doença em viagens, segundo a prefeitura. Também foram confirmados 11 casos de chikungunya, além de oito em investigação, mas todos seriam 'importados'.

Ainda segundo a prefeitura, foram notificados 4.455 casos de dengue este ano, mas todos os pacientes passaram por exames e apenas 96 casos foram confirmados. “Nossa rede está treinada para notificar todos os casos por menor que seja a suspeita. Ao fazer a sorologia, a gente vê que muitos são de outras viroses e descartamos a grande maioria”, explicou o secretário Francisco Antonio Fernandes.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em SaúdeX