Procurador vai avaliar se houve conflito de interesse em contrato, diz Alckmin

Governo do Estado contratou entidade de chefe do programa anticrack para gerir hospital para viciados na Cracolândia

Laura Maia de Castro e Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

02 Abril 2014 | 13h08

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou nesta quarta-feira, 2, que o Procurador-Geral do Estado vai avaliar se houve conflito de interesse na contratação da organização Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) para administrar um hospital para viciados na Cracolândia. A organização é presidida pelo psiquiatra Ronaldo Laranjeira, que também ocupa a função de coordenador do programa anticrack da Secretaria de Estado da Saúde.

"A entidade nao tem fim lucrativo, o professor não ganha (salário) no Estado e não ganha nada por ser presidente da SPDM, então, em princípio, não (há conflito de interesse), mas o Procurador-Geral do Estado vai avaliar", disse Alckmin.

Como revelado pelo Estado em reportagem publicada nesta quarta-feira, o Ministério Público Estadual (MPE) vê conflito de interesse na assinatura do contrato. "Do ponto de vista ético, (o contrato) merece uma reflexão maior. É algo que precisaria ser mais bem pensado e investigado. É uma situação muito inusual alguém estar dos dois lados, como contratante e como contratado", afirmou o promotor da Saúde Pública Arthur Pinto Filho. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.