Reino Unido desiste de usar detector de mentiras contra fraude previdenciária

Foram realizados 23 estudos-piloto, a um custo de mais de 2 milhões de libras

estadão.com.br, estadão.com.br

09 Novembro 2010 | 16h12

O governo britânico está abandonando o plano de usar um teste de detector de mentiras para pegar fraudadores da previdência social, depois que testes mostraram que a tecnologia não era confiável. A informação é do site do jornal The  Guardian.

 

O Departamento de Trabalho e Pensões desistiu do software chamado "Análise de Risco de Voz" depois de gastar mais de 2 milhões de libras (cerca de R$ 6 milhões) em testes para avaliar a tecnologia.

 

O software se propunha a testar a voz de pessoas que telefonavam para o serviço a fim de reivindicar ou renovar benefícios, em busca sinais de estresse que indicassem más intenções.

 

Foram realizados 23 estudos-piloto, que analisaram ligações sobre benefícios habitacionais, impostos, renda mínima e seguro-desemprego.

 

A tecnologia só foi considerada bem-sucedida em cinco desses testes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.