Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Saúde » Ribeirão tem quarta morte por suspeita de dengue este ano

Saúde

James Gathany/CDC/AP

Ribeirão tem quarta morte por suspeita de dengue este ano

Mulher de 32 anos estava internada havia dois dias no Hospital São Francisco; amostras de sangue foram encaminhadas para exames

0

José Maria Tomazela,
O Estado de S. Paulo

15 Fevereiro 2016 | 17h42

SOROCABA - Uma mulher de 32 anos morreu no domingo, 14, com sintomas de dengue em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. Essa é a quarta morte com suspeita da doença na cidade neste ano. Em janeiro, a prefeitura decretou epidemia no município em razão da doença. A paciente estava internada havia dois dias no Hospital São Francisco. O hospital informou que a mulher havia sido diagnosticada com dengue e estava com o sistema imunológico fragilizado. 

A prefeitura informou que o caso será investigado e amostras foram encaminhadas para exames. Na sexta-feira, um bebê de quatro meses morreu na Maternidade Sinhá Junqueira, com quadro de dengue hemorrágica. A doença foi atestada na certidão de óbito. As outras mortes, de um artista plástico de 51 anos, e de um pedreiro de 45, foram registradas em janeiro. Apesar do diagnóstico médico, a confirmação depende do exame de amostras enviadas ao Instituto Adolfo Lutz. Os exames ainda não ficaram prontos.

Ribeirão Preto registrou 1.557 casos confirmados de dengue em janeiro deste ano, conforme boletim divulgado nesta segunda, 15, pela Secretaria Municipal de Saúde. Em janeiro de 2015, a cidade teve 53 casos confirmados, aumento de 2.835% A região oeste tem a maior concentração, com 475 casos. Outras 9 mil ocorrências suspeitas estão em investigação. Só em janeiro, a secretaria registrou 430 casos suspeitos de infecção pelo vírus zika. Destes, 11 foram confirmados – dez em gestantes. 

Zika. A Vigilância Epidemiológica de Tatuí, região de Sorocaba, confirmou nesta segunda o primeiro caso de vírus zika na cidade. A doença, que acometeu a moradora de um bairro periférico, teria sido contraída durante uma viagem da paciente a Mato Grosso, em novembro do ano passado. Bloqueios já foram feitos no bairro. É o quarto caso de zika confirmado neste mês em cidades da região. Os outros foram registrados em Sorocaba (dois) e Salto, mas todos são considerados importados.

Ainda no interior, a Secretaria de Saúde de Piracicaba confirmou o segundo caso autóctone de zika. A paciente, uma gestante de 16 anos, apresentou sintomas típicos da doença, como manchas vermelhas na pele, febre, dores nas articulações e dor de cabeça, quando estava na 13.ª semana de gestação. Exames do Instituto Adolfo Lutz confirmaram a doença.

A gestante está na 19.ª semana de gravidez, mas os exames de ultrassom mostram que o desenvolvimento do bebê ocorre em condições normais. A paciente e o bebê serão acompanhados mesmo após o nascimento da criança. O primeiro caso de gestante com vírus zika foi confirmado no dia 29 de janeiro, numa grávida de 20 anos. O bebê não apresentava má-formação. Segundo a prefeitura, não há registro de casos de microcefalia associados ao vírus zika na cidade. 

Comentários