Divulgação
Divulgação

Risco de febre amarela põe em alerta região de Rio Preto

Pessoas que se deslocarem para cidades próximas devem tomar vacina; macacos morreram após contrair doença

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

01 Novembro 2016 | 07h00

SOROCABA - As pessoas que precisam se deslocar para a região de São José do Rio Preto, no norte do Estado de São Paulo, devem tomar a vacina contra a febre amarela. O alerta, do Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE), da Secretaria de Saúde do Estado, leva em conta uma sequência de mortes de macacos após contrair a doença em cidades da região. "É uma situação preocupante, porque pelo menos 10% dos casos de febre amarela são graves e a metade destes evolui para óbito", disse a assistente de direção do GVE de Rio Preto, Monica Regina Bocchi. 

Segundo ela, dos quatro casos de mortes de macacos, dois já tiveram confirmação definitiva para a febre amarela e outros dois, embora tenham sido positivos no primeiro exame, ainda aguardam outro resultado. "O problema é que em muitos casos não conseguimos fazer os exames. O que preocupa é que tivemos cerca de 40 mortes suspeitas de macacos na região." Em todos os casos, houve ação de bloqueio com a vacinação da população do entorno, além do controle dos vetores, especialmente os mosquitos silvestres.

O objetivo é evitar o ciclo urbano da doença, já que o vírus também pode ser transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. "O Aedes está muito adaptado à área urbana e, se picar uma pessoa com febre amarela, pode passar a doença a outras pessoas", explicou. O Estado já registrou a morte de uma pessoa por febre amarela em abril deste ano. O homem, um operário da construção civil de 38 anos, apresentou a doença em Bady Bassit. De acordo com Monica, ele havia feito trilhas numa região conhecida como Mata dos Macacos. 

A vacinação contra a doença foi reforçada em toda a região. Além de ter rios e matas, ambientes propícios para os vetores da doença, a região de São José do Rio Preto fica na rota de regiões de pesca em Estados que têm a febre amarela, como Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás. Mesmo quem apenas transita pela região deve se vacinar para prevenir a doença, segundo a técnica. As vacinas estão disponíveis na rede pública de saúde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.