Santa Casa de SP passará também por auditoria externa

Além de ter contas analisadas por equipe governamental, entidade terá auditoria independente contratada pela Secretaria da Saúde

Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

19 Agosto 2014 | 21h57

SÃO PAULO - A Secretaria Estadual da Saúde informou nesta terça-feira, 19, que está contratando uma empresa de auditoria externa para analisar as contas da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Com a decisão, as finanças da instituição terão de passar de  por duas análises. Além da auditoria da empresa independente, anunciada ontem, as contas da entidade filantrópica serão analisadas por uma comissão técnica formada por representantes dos governos federal, estadual e municipal, como já havia sido informado no final do mês passado.

A Santa Casa fechou seu pronto-socorro por 30 horas entre os dias 22 e 23 de julho alegando falta de recursos para a compra de materiais e medicamentos. Para permitir a reabertura do serviço, a secretaria estadual liberou um repasse emergencial de R$ 3 milhões, mas exigiu que pudesse analisar as contas da entidade para avaliar possíveis falhas na gestão.

De acordo com a pasta, a auditoria da comissão técnica governamental já foi iniciada e deverá ser finalizada em até 60 dias. O prazo vence em 29 de setembro. Já a auditoria externa ainda não tem data para começar. O processo de contratação da empresa está em fase final de licitação.

A reportagem não conseguiu contato com a Santa Casa para comentar a realização de auditoria externa.

Repasses. A secretaria da saúde também anunciou que antecipou para o quinto dia útil de setembro o envio de um repasse de R$ 12,6 milhões que geralmente é pago somente no final de cada mês. O valor é referente ao programa estadual Pró-Santas Casas e a demais aportes de custeio. A mudança na data também valerá para os meses seguintes.

Quando anunciou a verba emergencial de R$ 3 milhões, o secretário da saúde David Uip afirmou que o dinheiro seria suficiente para manter o pronto-socorro aberto por até 30 dias, prazo que vai até 23 de agosto. A antecipação do repasse de R$ 12,6 milhões, portanto, pode ser uma forma de manter a unidade funcionando normalmente até que as auditorias sejam finalizadas. Isso porque, segundo Uip, novos repasses emergenciais só serão liberados após o fim da análise das contas da Santa Casa.

 

Mais conteúdo sobre:
santa casa auditoria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.