Secretaria descarta suspeita de Ebola em Foz do Iguaçu, no PR

Secretaria descarta suspeita de Ebola em Foz do Iguaçu, no PR

Brasileiro não viajou por Serra Leoa ou outro país que registrou o vírus; ele passou apenas por China, Dubai, Líbano e Itália

Felipe Cordeiro e Marco Antônio Carvalho, O Estado de S. Paulo

16 Outubro 2014 | 12h30

SÃO PAULO - A Secretaria Estadual de Saúde do Paraná descartou a suspeita de Ebola nesta quinta-feira, 16, em Foz do Iguaçu. O paciente, um jovem brasileiro de 22 anos, não passou por nenhum país que tem registrado casos da doença na África Ocidental, ao contrário do que se acreditava no período da manhã.

O jovem, filho de libaneses e morador de Foz do Iguaçu, viajou pela China, por Dubai, pelo Líbano e pela Itália. Ele procurou atendimento na madrugada desta quinta-feira com febre, náuseas e icterícia na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) João Samek, no bairro Jardim das Palmeiras, na cidade.

Autoridades relataram terem seguido o protocolo até que se pudesse descartar a infecção.

"O protocolo de suspeita de Ebola foi inicialmente acionado pelos profissionais da unidade de saúde por conta de suas viagens", explicou em nota o superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria da Saúde do Paraná, Sezifredo Paz.

Em contato inicial com o paciente, havia sido obtida a informação, agora descartada, de que ele teria passado por Serra Leoa, país africano com o segundo maior índice de infecção e morte por Ebola. Foi necessário checar o passaporte do jovem para corrigir a confusão.

"As autoridades tiveram acesso a seu passaporte, que não registra passagem pela África", acrescentou Paz.

A UPA estava temporariamente lacrada com cerca de 30 pacientes e profissionais de saúde no local. A secretaria informou que ela deverá ser reaberta ao público ainda no início da tarde desta quinta-feira. O Ministério da Saúde foi imediatamente informado da possível suspeita de Ebola e acompanha todos os procedimentos tomados. 

Mais conteúdo sobre:
Ebola Paraná Foz do Iguaçu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.