1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Setor elétrico está engajado na luta contra o Aedes, diz ministro

- Atualizado: 13 Fevereiro 2016 | 12h 35

Leituristas de contas de luz vão ajudar a identificar focos do mosquito; 50% das distribuidoras já participam da mobilização

PORTO ALEGRE - O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, afirmou neste sábado, 13, que o setor elétrico está engajado no combate ao Aedes aegypti, transmissor de dengue, zika e chikungunya. Elle citou uma parceria feita com a Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee) para que os leituristas de contas de luz das distribuidoras - que visitam mensalmente todos os domicílios do País - sejam treinados e ajudem a identificar possíveis focos de proliferação do mosquito.

"A ação dos técnicos começou há duas semanas. Estamos com aproximadamente 40% ou 50% das distribuidoras participando, e esperamos que em mais três semanas todas as distribuidoras estejam atuando nesse sentido", disse Braga, que esteve presente nas atividades do dia nacional de mobilização contra o Aedes aegypti em Porto Alegre.

O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga

O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga

Ele explicou que, quando os leituristas identificam um possível foco do Aedes, registram a localização geográfica no aparelho eletrônico que usam normalmente para medição de energia. Os dados são encaminhados para a distribuidora, que então repassa aos centros de enfrentamento ao mosquito presentes em cada Estado, para que as autoridades tomem as providências necessárias.

O secretário-executivo adjunto do MME, Edvaldo Risso, revela que uma parceria semelhante foi feita com a Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás). A lógica é a mesma: os técnicos de rua irão mapear possíveis focos de proliferação do mosquito para informar às autoridades competentes. "No caso da Abegás a atuação das empresas ainda é incipiente, mas está em processo de aceleração", disse Risso, que coordena as ações contra o Aedes no MME.

O ministro afirmou que existe uma orientação da presidente Dilma Rousseff para que o setor elétrico use sua capacidade de mobilização para contribuir com o enfrentamento ao mosquito. Como parte dos esforços, todas as contas de luz e também de gás do País começaram a conter mensagens educativas sobre o Aedes.

O trabalho, segundo ele, também é interno. "Todo sábado dentro do setor elétrico, de norte a sul do País, é dia de faxina. Estamos fazendo limpeza, verificando nas nossas unidades, nas subestações, nas geradoras, nas distribuidoras e nos escritórios, como podemos ajudar", disse.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em SaúdeX