SP restringe trabalho de grávidas por causa da gripe suína

Secretaria recomenda que grávidas evitem situações de risco; 13 das 69 mortes no Estado são de gestantes

11 Agosto 2009 | 12h44

Grávidas que trabalham em escolas e hospitais de São Paulo vão ter os trabalhos restringidos por causa da gripe suína. A decisão foi anunciada pela Secretaria da Saúde do Estado e visa prevenir casos de infecção pelo vírus influenza A (H1N1). O governo também recomenda a mesma medida para grávidas que trabalhem no setor privado.

 

De acordo com a secretaria, 13 das 69 mortes registradas pela gripe suína no Estado até a última sexta-feira, 7, foram de gestantes. A secretaria ainda estuda o motivo pelo qual a mortalidade tem sido alta entre as grávidas, mas um dos possíveis fatores é a redução da imunidade entre essas pacientes, além de diminuição da capacidade pulmonar, especialmente nos três últimos meses de gestação.

 

Recomenda-se que hospitais e demais serviços de saúde, das redes pública e privada, efetuem a transferência temporária de funcionárias grávidas para outros setores, cujas atividades sejam de menor risco e onde não haja contato com pacientes portadores de síndrome gripal.

 

Do mesmo modo, os estabelecimentos de ensino (escolas, centros de educação infantil e creches, dentre outros) devem transferir temporariamente as gestantes para outros setores que não tenham presença de alunos gripados.

 

A pasta recomenda, ainda, que na impossibilidade de transferência, as instituições estudem alternativas legais de afastamento temporário das gestantes.

 

Outros estabelecimentos que possuem funcionárias gestantes também ficam orientados a adotar medidas para reduzir o risco de infecção pela gripe A H1N1, minimizando a exposição dessas mulheres a pessoas com quadros gripais e promovendo condições adequadas para a adoção de medidas preventivas, como higienização das mãos, limpeza e ventilação do ambiente, entre outras ações.

 

Outra recomendação da pasta é para que gestantes saudáveis evitem situações que facilitem a exposição ao vírus, como o contato com pessoas doentes e aglomerações por tempo prolongado, dentre outras.

Mais conteúdo sobre:
gripe suína vírus A (H1N1)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.