Amanda Perobelli/Estadão
Amanda Perobelli/Estadão

Surto de febre amarela deixa 162 cidades de MG em estado de emergência

68 novos municípios acrescidos à lista pertencem às regionais de saúde de Juiz de Fora e Barbacena, na Zona da Mata mineira

Leonardo Augusto, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

25 Janeiro 2018 | 15h49

BELO HORIZONTE - O governo de Minas Gerais aumentou de 94 para 162 o número de municípios em estado de emergência por causa da febre amarela. A decisão foi publicada na edição desta quinta-feira, 25, do Diário Oficial de Minas Gerais.

+ Brasil deve dobrar oferta de vacina contra a febre amarela a partir de junho

Os 68 novos municípios incluídos na área colocada em estado de emergência pertencem às regionais de saúde de Juiz de Fora (37 municípios) e Barbacena (31 municípios), na Zona da Mata. Em decreto publicado no Diário Oficial do último dia 20, 94 prefeituras haviam sido colocadas nessa situação.

Os municípios que já estavam em estado de emergência pertencem às regionais de saúde de Belo Horizonte (39 municípios), Itabira (25 municípios), na Região Central), e Ponte Nova (30 municípios), também na Zona da Mata.

+ Vacinação fracionada contra febre amarela começa com dúvidas e filas em São Paulo

De julho de 2017 até agora, 25 pessoas morreram em Minas Gerais por conta da febre amarela. Desse total, cinco óbitos ocorreram na Zona da Mata. A região mais atingida pela doença é a Grande Belo Horizonte, com 16 mortes.

A decretação do estado de emergência, que vale por 180 dias, permite a dispensa de licitação para compra de medicamentos e contratação de serviços para o combate à febre amarela.

+Sobe para 23 o número de casos de febre amarela no Rio

Minas Gerais tem 853 municípios. Ou seja, hoje, 18,9% do estado foi colocado em emergência por causa da febre amarela. O subsecretário de Vigilância e Proteção à Saúde, Rodrigo Said, explicou o que levou o governo a decisão de aumentar a área em emergência. "Utilizamos o mesmo critério das áreas iniciais. Ocorrência de epizootias e aumento de casos suspeitos na região", disse.

Epizootia é a ocorrência de macacos mortos, um indício da circulação do vírus da febre amarela. No último boletim da Secretaria de Estado de Saúde, divulgado dia 23, há sob investigação em Minas 99 casos de suspeita da doença.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.