1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Vereador protocola projeto que prevê multa a 'reincidentes no Aedes'

- Atualizado: 20 Fevereiro 2016 | 03h 00

Com a proposta, Paulo Fiorilo quer que moradores adotem medidas 'necessárias à manutenção da limpeza de suas propriedades'

SÃO PAULO - O vereador Paulo Fiorilo (PT), de São Paulo, protocolou na noite desta sexta-feira, 19, um projeto de lei que prevê cobrança de multas para reincidentes por negligência no combate aos focos do mosquito Aedes aegypti. Fiorilo propõe multa que pode chegar a R$ 500 para pessoa física e até R$ 2 mil para pessoa jurídica em caso de descumprimento da norma. Hoje sete capitais e o Distrito Federal já aplicam multas para reincidentes com base em legislação municipal.

O texto pode levar entre dois e seis meses para ser votado. Mas, em função da urgência do tema, o petista pode fazer acordo com outros parlamentares e incluir o assunto na próxima reunião de líderes, marcada para 14 horas da próxima terça-feira, 23.

"Se passar na Comissão de Justiça e se apressarmos, dá para votar logo. Mas não é possível trabalhar com menos de um mês e meio. É preciso pensar mais, trâmite, discutir e debater. E votar em abril, talvez", afirmou o vereador.

Dicas para evitar o mosquito 'Aedes aegypti'
James Gathany/CDC/AP
'Aedes aegypti'

O mosquito 'Aedes aegypti' é transmissor do zika vírus, da dengue e da chikungunya; veja a seguir dicas para evitá-lo

Com o projeto, Fiorilo quer que moradores da capital adotem medidas “necessárias à manutenção da limpeza de suas propriedades, livrando-as do acúmulo de lixo e de materiais que, de alguma forma, criem condições propícias à instalação e à proliferação do mosquito”.

Também deverão garantir cuidados para evitar proliferação do 'Aedes' os “responsáveis por borracharias, empresas de recauchutagem, desmanches, depósitos de veículos e outros estabelecimentos similares”.

Aos responsáveis por cemitérios, competirá “rigorosa fiscalização” das áreas e “imediata retirada” de vasos ou recipientes que contenham água, permitindo somente aqueles com areia. As obras de construção civil passam a ser obrigadas a cuidar da drenagem permanente das águas “oriundas ou não das chuvas”, bem como descartar materiais que possam acumular água.

No caso de descumprimento da lei, está prevista a aplicação de uma advertência em um primeiro momento. Em situação de reincidência, a multa para pessoa física foi fixada em R$ 250 e, de pessoa jurídica, em R$ 1 mil. O valor pode chegar a R$ 500 (pessoa física) em caso de nova reincidência ou R$ 2 mil (pessoa jurídica).

"Pesquisamos os valores das outras leis. É tudo mais caro. Tem multa que chega a R$ 650 para pessoa física", explicou Fiorilo. 

A multa será corrigida anualmente pelo índice oficial de inflação, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em SaúdeX