Minha primeira quimio, uma ressaca de tequila
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Minha primeira quimio, uma ressaca de tequila

Adriana Moreira

20 de maio de 2021 | 07h00

Parei de tomar tequila em festinhas há uns dez anos, depois de uma bebedeira de aniversário cuja ressaca foi inesquecível. Achei que evitando a tequila eu nunca mais teria aquela sensação. Mas a minha primeira sessão de quimioterapia resgatou aquelas memórias – com a diferença de não ter estado em nenhuma festa um dia antes.

Em vez de shots com limão e sal, o que tomei foi quimioterapia vermelha na veia. Cheguei cedinho à clínica, onde fiquei cerca de três horas – primeiro, a enfermeira colocou os medicamentos para minimizar o enjoo e outros efeitos colaterais. Um tipo de aperitivo, um amendoinzinho pra começar a “noitada”.

Em vez de drinques com limão e sal, o que tomei foi quimioterapia na veia. Foto Iam_Os/Unsplash.com

O coquetel vem depois, e a coqueteleira é um saco de plástico onde estão medicamentos que pertencem ao grupo das antraciclinas (como doxorrubicina e epirrubicina, por exemplo), de cor vermelha. Pode esperar que seu xixi vai sair laranja por vários dias – tome muito líquido depois da quimio, abuse mesmo de suco, água, água de coco, chá…

O Portal Câncer de Mama Brasil explica que essas substâncias destroem o tumor agindo diretamente no DNA das células. Ou seja, uma festa de substâncias agindo em nosso corpo.

Uma festa com ressaca. Eu esperava que a minha viria uns dois dias depois da quimioterapia, mas foi no mesmo dia. Saí da clínica me sentindo bem, passei no banco e, depois, fui a pé para casa. No caminho, fui ficando um pouco mais devagar, com o raciocínio mais lento. Ainda consegui trabalhar um pouco antes de me deitar para descansar.

Sem eufemismos

O enjoo veio aos pouquinhos, e foi crescendo (em tempo: nada de eufemismos neste blog: enjoo é enjoo, vômito é vômito). Cometi um erro: demorei a tomar o remédio anti-enjoo receitado pelo médico depois da sessão – a enfermeira havia avisado para tomar logo, mas eu ainda tinha que comprar, quis almoçar primeiro, depois esqueci… Enfim: não façam como eu.

Quem já bebeu além da conta sabe que, quando vem a vontade de vomitar, ela vem de uma vez. Nessa minha “bebedeira de antraciclinas” não foi diferente. Como eu estava ao lado do banheiro, deu tempo de vomitar com dignidade. Depois, me senti bem, como se nada tivesse acontecido.

Jantei só uma batata cozida, mas… sim, tinha mais por vir. Mais vômito, diarreia (sem eufemismos aqui, lembra?) e, finalmente, pareceu que eu estava suficientemente vazia para dormir. Provavelmente, os remédios finalmente fizeram efeito.

No dia seguinte, a ressaca de tequila foi coroada pelo corpo cansado, uma leve dor de cabeça e o pensamento mais lento. Aos poucos, fui melhorando, cada dia um pouquinho – dois dias depois da quimio, trabalhei normalmente. O tempo de recuperação varia de pessoa para pessoa, mas eu só voltei a me sentir como eu mesma uns cinco ou seis dias depois.

Suco de graviola e gengibre (que bato no liquidificador e incluo em sucos e chás) me ajudaram bastante com o enjoo residual, que volta vez ou outra.

Ainda tenho mais três dessas. Meu cabelo não caiu por enquanto, mas isso deve acontecer nos próximos dias – normalmente, os pelos do corpo começam a cair duas semanas depois da primeira sessão. É um dos efeitos colaterais da quimio (não de todas, mas de grande parte delas).

Há outros, como o ressecamento da pele (ainda não tive), aftas (a enfermeira me ensinou a fazer bochechos com uma solução de 1 colher de café de bicarbonato de sódio em 200 ml de água; tem ajudado muito). Também não dá para tomar sol, que pode manchar a pele – essa parte é a que mais me incomoda. Mais, inclusive, do que a futura queda do cabelo.

Depois que os enjoos passaram, veio uma fome absurda. Minha amiga de tratamento Carol Cury disse que ela, vegana há 5 anos, depois da quimio começou a sentir vontade de comer lasanha à bolonhesa, pão com ovo, estrogonofe… Coma à vontade: as células vão precisar de muita energia nesse processo.

Meu médico disse que ajustará a medicação na próxima sessão para que eu não enjoe tanto. Vamos ver como serão as próximas: ainda faltam três desse ciclo (uma a cada 21 dias) e depois mais 12 do ciclo seguinte, uma por semana.

Depois dessa experiência, uma coisa é certa: quando tudo isso terminar, vou tomar um porre de tequila.

Vamos continuar essa conversa no Twitter?  Como foi a quimioterapia pra você? Me siga: @adrikka

Tudo o que sabemos sobre:

câncercâncer de mamamedicinasaúde

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.