2 suspeitos de infecção por Ebola na Espanha têm testes negativos

2 suspeitos de infecção por Ebola na Espanha têm testes negativos

Motorista que transportou enfermeira e nigeriano de voo da Air France farão contraprova; nos EUA, homem foi isolado em cruzeiro

O Estado de S. Paulo

17 Outubro 2014 | 08h49

MADRI - Duas pessoas postas em quarentena na Espanha sob suspeita de terem sido contaminadas pelo vírus Ebola tiveram resultados negativos para a doença divulgados nesta sexta-feira, 17. O governo do país informou que os pacientes são um nigeriano que chegou ao país em um voo da Air France, isolado no Aeroporto de Madri na quinta-feira, 16, e o motorista da ambulância que transportou a enfermeira Teresa Romero, primeiro caso confirmado de transmissão do Ebola fora do oeste africano.

Segundo o comitê do governo para o monitoramento da doença, os dois pacientes serão testados novamente em 72 horas.

Outras duas pessoas que também apresentaram sintomas da doença e estão no Hospital Carlos III, em Madri, também serão submetidas a exames. Eles são um missionário espanhol que sentiu febre ao retornar da Libéria e um profissional de saúde da Cruz Vermelha que trabalhou com pacientes do Ebola em Serra Leoa.

O porta-voz do Ministério da Saúde da Espanha, Fernando Simon, também afirmou nesta sexta-feira que a doença de Teresa Romero está quase sob controle e que há cada vez menos motivos para estar preocupação.

Ao todo, 21 pessoas foram postas em quarentena na Espanha como uma medida de precaução. Muitos são trabalhadores da área de saúde que atuaram no tratamento de Teresa. Dezessete dos pacientes não demonstraram nenhum sintoma do Ebola.

Estados Unidos. Um profissional do setor de saúde do Estado norte-americano do Texas que pode ter tido contato com fluidos do primeiro paciente diagnosticado com Ebola nos Estados Unidos foi isolado em um navio de cruzeiro, apesar de não apresentar nenhum sintoma da doença, informou o Departamento de Estado do país nesta sexta-feira.

O funcionário do Hospital Presbiteriano de Saúde do Texas, que não teve contato direto com o paciente liberiano Thomas Eric Duncan, já falecido, mas poderia ter tido contato com fluidos corporais 19 dias atrás, embarcou em um cruzeiro em Galveston, no domingo,  12, disse a porta-voz do Departamento de Estado, Jen Psaki.

As preocupações nos Estados Unidos se intensificaram após dois enfermeiros do hospital de Dallas que cuidou de Duncan terem contraído o vírus, que já matou cerca de 4.500 pessoas, a maioria na África Ocidental.

O funcionário está sendo monitorado desde segunda-feira, 13, e não apresentou febre ou qualquer outro sintoma de Ebola. Ele e um acompanhante se isolaram voluntariamente em sua cabine, e autoridades norte-americanas estão organizando o seu retorno ao país.

"Estamos trabalhando com a linha de cruzeiro para trazê-los com segurança de volta para os Estados Unidos, por excesso de precaução", disse Psaki./AP, DOW JONES NEWSWIRES E REUTERS

Mais conteúdo sobre:
EbolaEspanhaEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.