ED FERREIRA/ESTADAO
ED FERREIRA/ESTADAO

25% das vagas abertas com saída de médicos cubanos foram preenchidas

Dos inscritos efetivados, 2.209 já escolheram os locais onde vão trabalhar; site para inscrição apresenta instabilidade

Lígia Formenti , O Estado de S. Paulo

22 Novembro 2018 | 11h33

BRASÍLIA - Balanço  divulgado pelo Ministério da Saúde mostra que 6.394 profissionais formados no Brasil se inscreveram para trabalhar no Mais Médicos até o momento . Do total, no entanto, foram validados 2.812 pedidos. As demais inscrições foram anuladas, por apresentarem inconsistências nos dados apresentados. Dos inscritos efetivados, 2.209 já escolheram os locais onde vão trabalhar.

As inscrições para o Mais Médicos tiveram início nesta quinta-feira, 21. O edital, com regras mudadas e cronograma mais curto, foi aberto para repor as vagas atualmente ocupadas por profissionais cubanos, que vieram trabalhar no País graças a um termo de cooperação firmado com o governo daquele país e intermediado pela Organização Pan-Americana de Saúde (Opas)

Na semana passada,  em uma reação a declarações do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), o governo de Cuba decidiu interromper o programa.  Os 8.332 profissionais já encerraram suas atividades e retornam à ilha a partir de hoje. A previsão da Opas é de que todos deixem o Brasil até dia 12.

O sistema de inscrição para o Mais Médicos continua instável. Ontem, o site recebeu mais de um milhão de acessos, número que representa o dobro de médicos em atividade no País. Para o Ministério da Saúde, a procura exagerada é reflexo de ataque ao sistema.

Em nota, a pasta informou que o Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (SUS) identificou a maior parcela dos robôs e máquinas programadas que estão promovendo os ataques ao site dos Mais Médicos. " Nesta manhã, a equipe de segurança do sistema estará isolando e protegendo a rede desses ataques", informa o texto. A previsão é de que o sistema se estabilize no início da tarde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.