36 tutores vão cuidar de 3.600 profissionais do Mais Médicos

Expectativa é de que as primeiras informações sejam repassadas entre 20 e 40 dias

O Estado de S. Paulo

20 de setembro de 2013 | 22h50

BRASÍLIA - Tutores do Programa Mais Médicos se reuniram nesta sexta-feira, 20, em Brasília com representantes do Ministério da Saúde para conversar sobre seu modelo de atuação. Definiu-se que a forma de trabalho será semelhante à do Provab, o programa criado pelo Ministério da Saúde para atrair profissionais brasileiros para áreas carentes do País - anterior ao Mais Médicos. Nesta sexta-feira, a reunião foi realizada com 36 tutores. Sob a atuação desses profissionais ficarão 360 supervisores e 3,6 mil profissionais do Mais Médicos.

Prazos. A expectativa é de que as primeiras informações sejam repassadas para tutores entre 20 e 40 dias, depois que o trabalho de campo começar a ser feito. Foi a quarta reunião realizada pelo grupo.

Lançado em julho pela presidente Dilma Rousseff, o Mais Médicos prevê a contratação de médicos formados, que recebem uma bolsa de R$ 10 mil por uma carga de trabalho de 40 horas semanais. A atuação será feita com o acompanhamento de supervisores e tutores. A reunião desta sexta-feira, 20, foi coordenada pela Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação.

Tudo o que sabemos sobre:
Mais Médicosestrangeiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.