REUTERS
REUTERS

5 dicas para controlar o consumo de chocolate por crianças na Páscoa

Especialista recomenda usar o chocolate como sobremesa e ensinar os pequenos a apreciar o doce, sem comer tudo de uma vez só

José Enrico Teixeira, O Estado de S. Paulo

31 Março 2015 | 18h43

Estudos já comprovaram que os benefícios do chocolate vão muito além do sabor. Se consumido na dose certa, ele pode ajudar a combater doenças como pressão alta e prevenir problemas cardiovasculares, como enfartes e derrames. 

No entanto, é preciso evitar abusos, principalmente entre as crianças. Lenycia Neri, nutricionista do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, dá algumas dicas de como cuidar para que as crianças não abusem do chocolate na Páscoa sem deixar de aproveitar a época.

1.  Não descuidar da alimentação

É importante que nessa época os pais não descuidem da alimentação das crianças. Legumes e verduras têm de continuar presentes durante as refeições, além de se respeitar os horários em que a criança geralmente come. Frutas também são importantes: três porções por dia, pelo menos. Uma boa dica, caso seu filho tenha bloqueio com alguma fruta, é oferecê-la juntamente com o chocolate, mas sempre em pequenas quantidades, lembra Lenycia. "Tem gente que coloca fruta no chocolate (risos)".

2. Chocolate como sobremesa

Outra dica importante é fazer do chocolate uma sobremesa, e não um lanche. Após uma refeição saudável, com verduras, carne e arroz com feijão, por exemplo, oferecer um pedaço pequeno. Com a criança bem alimentada, sobra menos espaço para a sobremesa, e o chocolate será em quantidade menor. Vale ressaltar que o consumo excessivo pode resultar em dores abdominais, enjoos, náuseas, vômitos e diarreia.

3. Fracionar

Além de ser oferecido como sobremesa, é importante fracionar o consumo do chocolate. Uma porção de 30 a 50 gramas por dia pode até ser benéfica para os pequenos, ou seja, nada de exageros. Geralmente a criança quer abrir os ovos de uma vez para ver o que ganhou. Caso ela ganhe muitos ovos, eles devem ser abertos um de cada vez, para que, novamente, o chocolate seja dado em pequenas quantidades. Nesse caso, separe por porções, e não deixe o ovo à disposição da criança.

4. Chocolate amargo

Apesar de não ser o preferido das crianças, o chocolate amargo é o melhor para a saúde delas. Os benefícios do consumo do chocolate estão relacionados aos compostos fenólicos presentes no cacau que são antioxidantes. Quanto mais amargo, mais polifenóis no chocolate. Ainda não há muitas pesquisas sobre o efeito em crianças do consumo moderado do chocolate amargo, mas sabe-se que em adultos esses compostos antioxidantes são ótimo para combater problemas cardiovasculares. "A relação da doença cardiovascular em criança é diferente, mas é lógico que haveria um benefício por se tratar do efeito antioxidante do produto". Ou seja, prefira para seu filho, o chocolate amargo. Depois dele o mais indicado é o meio-amargo. A opção preferida dos pequenos geralmente é a ao leite, no entanto, ela possui menos cacau e muito açúcar. O chocolate branco não contém cacau e, portanto,não é recomendado. Os pais também devem tomar cuidado com os chocolates recheados.

5. Apreciar o chocolate

Importante também é estimular a criança a comer devagar, e não devorar compulsivamente o doce. Ensiná-la a saborear o chocolate, sentir o cheiro, comer deixando-o derreter na boca. É importante que a criança coma o chocolate sem distrações, dessa maneira ela tem uma experiência mas prazerosa e se satisfaz com uma menor quantidade.

Mais conteúdo sobre:
Páscoa chocolate Saúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.