500 farmácias terão produtos 90% mais baratos

A partir de amanhã, cerca de 500 farmácias do Estado passarão a trabalhar em parceria com o governo federal, dentro da expansão do programa Farmácia Popular do Brasil. Agora, os consumidores poderão encontrar nove medicamentos (com quase 200 apresentações diferentes) com 90% de desconto nas redes particulares de farmácias e drogarias. Na primeira fase do projeto, as ofertas serão concedidas a medicamentos para o controle de hipertensão e diabete. Segundo o governo, a resolução é definida como uma forma de remunerar as farmácias pelos serviços prestados ao povo no setor da saúde. Quem ganha com isso serão os consumidores, que vão pagar apenas 10% do valor dos remédios da lista da Farmácia Popular. O governo vai reembolsar as drogarias com o restante do valor, os outros 90%. Para participar do programa, as farmácias devem se cadastrar no Ministério da Saúde e cumprir algumas exigências, como possuir a autorização de funcionamento, não ter dívidas com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e possuir sistema informatizado para o lançamento das compras online. De acordo com a Associação Brasileira do Comércio Farmacêutico (ABC Farma), diversas redes do setor já se cadastraram para participar do programa e, no Estado, o número já passa de 500. O Ministério da Saúde vai fornecer material de comunicação visual para que os clientes possam identificar os estabelecimentos participantes. Grandes redes já aderiram ao programa - Uma rede que já confirmou participação no programa é a Drogasil. A empresa informou que os estoques serão abastecidos diariamente para que os consumidores consigam encontrar o medicamento em qualquer uma das 165 lojas de São Paulo e Minas Gerais. Para efetuar as compras com desconto, os clientes só precisam apresentar a receita médica e o CPF. Dentre os nove medicamentos disponíveis nesta primeira fase estão Atenolol e Captopril (hipertensão), e Glibenclamida e Insulina (diabete). Os remédios serão vendidos em quantidade suficiente para um mês de tratamento.

Agencia Estado,

23 de março de 2006 | 09h48

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.