70% das clínicas de obstetrícia e ginecologia aderem a paralisação em SP

Atendimento eletivo a planos de saúde é interrompido por 24 horas contra baixos honorários

Pedro da Rocha, do estadão.com.br

30 Novembro 2010 | 20h06

SÃO PAULO - A Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (Sogesp) informou que aproximadamente 70% de todas as clínicas do Estado aderiram à paralisação desta terça-feira, 30, quando o atendimento eletivo a planos de saúde foi interrompido em protesto aos baixos honorários recebidos pela categoria.

Segundo a Sogesp, a mesma porcentagem aderiu à paralisação na cidade de São Paulo. O número de profissionais da área ligados à associação é de 10,5 mil.

A iniciativa, de acordo com a associação, é uma forma de reivindicação a gestores de saúde suplementar e operadoras de planos. Os casos de urgência e emergência não sofreram com a paralisação.

Mais conteúdo sobre:
ginecologistas obstetras paralisação SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.