Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
SILVIO AVILA / AFP
SILVIO AVILA / AFP

À beira do colapso por causa da covid, hospitais de Porto Alegre decidem fechar emergências

Taxa de ocupação nos leitos de UTI já supera os 100% nas redes pública e privada de todo o Estado

Eduardo Amaral, especial para o Estadão

15 de março de 2021 | 17h25

PORTO ALEGRE - Com a alta de casos do coronavírus, dois hospitais de Porto Alegre decidiram fechar suas emergências entre a noite de domingo, 14, e a manhã desta segunda-feira, 15. O primeiro a decidir pelo fechamento do setor de emergência foi o Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). 

Na noite de domingo, o local atendia 88 pacientes, dos quais 48 em condições críticas, e 24 necessitando de ventilação mecânica. O Centro de Tratamento Intensivo (CTI) Covid operava com uma taxa de ocupação de 132%.

Na manhã desta segunda, foi a vez do Complexo Hospitalar Santa Casa fechar duas das três emergências adultas do hospital, localizadas nos Hospitais Santa Clara e Dom Vicente Scherer. De acordo com a comunicação da Santa Casa, ambas unidades já trabalhavam com atendimento restrito, mas a capacidade chegou ao limite. A ocupação das emergências beira os 300%.

A Santa Casa também possui um setor de emergência exclusivo para pacientes com covid-19 funcionando com restrição máxima. Isso significa que apenas pacientes com risco iminente de morte serão recebidos.

Além dos dois hospitais com emergências fechadas, o Hospital Conceição também está à beira do colapso. De acordo com os números do governo estadual, a UTI adulta tem 97,3% de ocupação. Já os leitos exclusivos para covid estão com uma taxa de 80,4% de ocupação. Outro dado que preocupa é o uso de respiradores no Conceição, que tem 85,3% em uso. A direção do Hospital Conceição decidirá até o fim do dia se fechará o atendimento de emergência.

Esgotamento geral

A situação crítica não é exclusividade de Porto Alegre, já que a taxa de ocupação das UTIs adultas passa de 100% em todo o Estado, tanto na rede pública quanto privada. 

Há, ainda, uma pequena folga nos leitos exclusivos de covid, com uma ocupação de 83,3%. O uso de respiradores também está próximo ao limite, com 84,3% utilizados em todo o Rio Grande do Sul.

No domingo, 14, a secretaria estadual de saúde anunciou a compra e locação de respiradores que serão distribuídos aos municípios. A previsão é que em 15 dias sejam abertos mais 183 leitos de UTI adulto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.