A ciência dos números na terapia do autoconhecimento

Adriana Calcanhotto, Baby do Brasil, Chico Anysio, Eduardo Dussek e Sandra de Sá. Além de serem artistas brasileiros, você conseguiria adivinhar o que eles têm em comum? Todos mudaram os seus nomes por meio de estudos numerológicos. Diferentemente do que muitos pensam, especialistas garantem que essa técnica não é uma crendice popular, mas uma ciência esotérica que tem como objetivo buscar o autoconhecimento, além de expandir as chances de sucesso na vida pessoal e profissional. Considerado o pai da numerologia, o filósofo grego Pitágoras foi o responsável por dar o pontapé inicial no assunto. Após algumas comprovações, passou a enxergar o estudo dos números com outros olhos, descobrindo que eles não servem apenas para somar, subtrair, multiplicar ou dividir."Depois que Pitágoras começou a colher dos números informações preciosas, outros filósofos descobriram a importância dessa técnica e, claro, que ela também remete diretamente ao nosso destino", explica a numeróloga Aparecida Liberato. Até hoje, dois sistemas de numerologia são utilizados pelos especialistas: o pitagórico (utiliza a numeração de 1 a 9, em seqüência linear) e o caldeu (usa a numeração de 1 a 8, em seqüência não linear). Ambos buscam orientar as pessoas com relação ao seu estilo de vida e o que está por vir nos próximos dias, avaliando os pontos fracos e fortes por meio da seqüência numérica de cada letra do alfabeto ou da soma da data de nascimento. "Desenvolvemos uma conta numerológica e descobrimos os desafios que a pessoa enfrentará. Além disso, é possível encontrar uma maneira de fazer com que ela encare da melhor forma possível o caminho que terá de trilhar nos próximos meses", revela o esotérico André Mantovanni. Segundo a funcionária pública Marianna Costa, de 37 anos, a numerologia mudou a sua história. "A minha vida estava estagnada e meus projetos nunca davam certo. Procurei um numerólogo, fizemos as contas e ele percebeu que estava faltando a energia de uma letra no meu nome. Aceitei a idéia e acrescentei uma letra no meu primeiro nome. Por incrível que pareça, as coisas começaram a fluir em menos de uma semana", relata. Necessidade - Mantovanni explica que não existe um número ideal para se ter no nome, mas que ele pode ser mudado de acordo com o que se está buscando no momento, tudo baseado na profissão e no jeito com que se soluciona os problemas. "Um cantor, por exemplo trabalha com a comunicação e, para ele, o número 3 é o ideal", indica o esotérico. De acordo com os especialistas, por meio da soma das vogais do nome, é possível descobrir a sua verdadeira essência, ou seja, algo que jamais mudará. Ao calcular as consoantes, você descobrirá o seu número de impressão, desvendando a forma que é visto pelas outras pessoas. O chamado número de herança é a soma de todas as letras. Ele determina a maneira com que você lidará com os desafios que surgirão no seu caminho e o que deve ser feito para ser feliz. Já a soma da data de nascimento destaca o caminho de vida e as lições que terá de aprender. Seguindo a tabela dos numerólogos, é desvendado o seu número de herança e o caminho que, segundo os especialistas, deverá ser seguido. Caso a soma dê 11, 22 ou 33, saiba que esses são considerados números mestres, que têm uma elevação espiritual grandiosa. Ser munido desses números, no entanto, não é privilégio. Os estudiosos no assunto dizem que os "iluminados" precisam se esforçar ainda mais para cumprir a sua missão - basicamente, fazer o bem para o próximo com mais intensidade.

Agencia Estado,

09 de outubro de 2006 | 15h00

Tudo o que sabemos sobre:
especiais

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.